quinta-feira, agosto 25, 2016

Aluísio Guerreiro ainda é o treinador com melhor desempenho à frente do América...

Diá tem o pior aproveitamento do ano no América; veja números

Por Leonardo Erys para o Novo Jornal

A tão determinada espera do América pelo técnico Francisco Diá não surtiu o efeito esperado de imediato.

Muito pelo contrário: dos quatro técnicos contratados neste ano pelo clube, o potiguar é quem tem o pior aproveitamento até o momento.

Com oito partidas no comando do clube (uma a mais que Aluísio Guerreiro e o mesmo número de Sérgio China), o treinador acumula apenas 37,5% de aproveitamento dos pontos no comando do Alvirrubro.

O retrospecto de Diá após quase dois meses dirigindo a equipe (completará na sexta-feira) é baixo.

Neste período, ele só venceu duas partidas, empatou três e perdeu outras três. 

O treinador era um desejo da diretoria desde a reta final do Campeonato Potiguar, mas acabou permanecendo no Campinense durante o período.

Na época, Sérgio China foi contratado.

Diferente dos demais treinadores, Francisco Diá só comandou o Dragão em jogos na Série C do Campeonato Brasileiro.

Mas o desempenho já deixou a situação do time complicada na busca pelo acesso à Série B – hoje o Dragão tem apenas 1,8% de possibilidades de avançar de fase, segundo o site Chance de Gol, especialista em probabilidades.

Um dos motivos que podem ser usados na defesa do novo técnico é que desde a chegada dele, o Dragão passou por uma nova reformulação (também a pedido do próprio Diá) e o time, às vésperas dos momentos mais decisivos no ano, ainda está em formação com a entrada de novos atletas.

E uma marca pode preocupar o atual treinador: entre os técnicos que passaram pelo Alvirrubro neste ano, apenas Guilherme Macuglia conseguiu ultrapassar 10 jogos oficiais no comando da equipe.

Os demais, todos, caíram antes disso.

Se conseguir permanecer no clube até o final da Série C do Campeonato Brasileiro, Diá chegará a 12 jogos no comando do time – dois a menos que Macuglia.
   
O antecessor de Diá, Sérgio China, caiu com a mesma quantidade de partidas do atual técnico do Dragão - e com um retrospecto um pouco melhor.

Nos oito jogos que passou à frente da equipe, China acumulou 41,6% de aproveitamento dos pontos disputados, com duas vitórias, três empates e três derrotas. Depois de quatro jogos consecutivos sem vitória, foi demitido.  

Com menos tempo ainda, Aluísio Guerreiro, primeiro treinador no ano, acabou demitido.

Ele passou apenas sete rodadas e tem o melhor aproveitamento entre os técnicos no ano: 61% de aproveitamento dos pontos conquistados.

Apesar disso, foi alvo de sérios questionamentos da torcida por conta do desempenho do time e foi demitido antes do final do primeiro turno do Estadual.

Macuglia, por sua vez, foi quem permaneceu mais tempo: 14 jogos à frente do time. 

O treinador, que já tinha uma passagem pela equipe em 2009, teve 40% de aproveitamento, com um péssimo desempenho no segundo turno do Estadual, quando conquistou apenas uma vitória.

Além deles, o Alvirrubro ainda teve o gerente de futebol Carlos Moura Dourado como treinador interino na transição da reta final do Estadual para o início da Terceira Divisão.

 Ao todo, foram cinco técnicos em oito meses de trabalho do América na temporada.

Desempenho de cada técnico:

Aluísio Guerreiro
61% de aproveitamento
4 vitórias, 1 empate, 2 derrotas

Guilherme Macuglia
40% de aproveitamento
4 vitórias, 5 empates, 5 derrotas

Sérgio China
41,6% de aproveitamento
3 vitórias, 1 empate, 4 derrotas

Francisco Diá
(Segue no cargo)
37,5% de aproveitamento
2 vitórias, 3 empates, 3 derrotas

Do blog:

Alguém bem que poderia fazer um texto pedindo desculpas para o único treinador que não era treinador...

Afinal, Aluísio Guerreiro, se foi sem deixar o América em situação tão periclitante.

3 comentários:

Joilson disse...

Estatísticas são importantes, mas devem ser interpretadas corretamente. Querer comparar desempenho de treinadores em competições diferentes só demonstra que quem o faz não tem conhecimento sobre o assunto ou não tem boa fé. Aluísio conseguiu percentual melhor de aproveitamento porque dirigiu o América no estadual, contra uma grande maioria de times amadores. Nas duas vezes que pegou times um pouquinho melhores (Abc e Globo), não conseguiu vencer. A grande verdade é que os dirigentes do América, talvez até com as melhores intenções, só fizeram besteira este ano. Jogadores são contratados e dispensados quase que diariamente. A quatro rodadas do fim da primeira fase da série C, ainda chegam jogadores. Até aqui, a qualidade do elenco vai de mal a pior. Daí a querer comparar desempenho de treinadores vai uma grande diferença. Isso só seria possível na mesma competição e com o mesmo grupo.

Fabiano Costa disse...

Diá se referia ao rebaixamento quando cunhou a pérola "América sera diferente se eu tivesse chegado antes". A garela acho q ele se referia ao acesso.

FABIANO COSTA - ABC FC 2016.

Adail Pires disse...

Tal comprativo serve para duas coisas: em relação ao Aluísio, massagear o ego do presidente que, sendo neófito, consegui transformar em "o melhor treinador da temporada" do América alguém que sequer tinha treinado um time de várzea. Por outro lado, mostra que a espera demasiada pelo Diá foi um tremendo equívocos que, talvez o tempo, perdoe pelo mesmo ser neófito no futebol. Ou seja, do céu para o inferno em questão de dias.
Um outro diagnóstico da vinda do Diá é que, diante das constantes e recorrentes contratações de jogadores por ele indicado, a situação financeira do América não é tão ruim assim. Dificilmente veremos um treinador ter TODOS os seus pleitos referentes ao plantel como dispensa ou contratação serem aceitos. Fico curioso para saber quem vai pagar esta conta, quem vai assumir o "rombo" que tantas contratações( na sua maioria equivocadas) trarão em um futuro bem próximo. Ainda mais que com tantos jogadores que vieram apenas para conhecer Natal, não sejam dispensados.
Vamos em frente com a dupla Beto/Diá e ver até onde chegaremos em 2017. Aliás, com jogadores indicados pelo grande Diá assinando contratos até dezembro de 2017 dá a ideia clara que ele será o treinador do time para 2017. E aí pausa uma certeza: a coerência do presidente Beto é algo inquestionável em relação ao treinador. Vão concluir o mandato juntos. Ou não.
ADAIL PIRES