quinta-feira, setembro 15, 2016

O América precisa dar um reset e rearrumar seus aplicativos...

Diretor tenta limitar questões em coletiva e constrange técnico do América-RN
Por Augusto César Gomes para o Globo Esporte.com

Ameaçado de ser rebaixado para a Série D do Campeonato Brasileiro, o América-RN, parece, gosta de criar problemas.

O desta quarta-feira não foi tão grave, mas merece o registro.

A imprensa esportiva foi à Arena das Dunas para cobrir a coletiva do técnico Francisco Diá - o treinamento, de conhecimento de todos, era fechado.

A entrevista sofreu um pequeno atraso devido a uma reunião entre ex-presidentes, dirigentes, comissão técnica e jogadores.

Nada demais.

Quando todos estavam prontos no auditório da Arena, o diretor de futebol do Alvirrubro, Iury Bagadão, se dirigiu aos jornalistas com um pedido, assim, que não era necessário.

Sem querer ser filmado, "pediu" para que a imprensa tratasse apenas de futebol, da partida contra o Remo, e "esquecesse" os problemas vividos pelo clube.

Por exemplo: como não perguntar a Diá sobre a saída de Lúcio Curió?

Como não perguntar sobre a presença dos ex-presidentes em reunião antes do treino?

Os jornalistas presentes, obviamente, reclamaram do tal pedido de "apoio" e "compreensão".

Bagadão falou que não se tratava de censura, mas, após a indignação dos repórteres, ainda ameaçou cancelar a coletiva.

O dirigente cogitou também que as perguntas sobre os problemas (extracampo?) fossem dirigidas a ele, e não ao treinador.

Claro que ninguém aceitou.

Diá ficou visivelmente constrangido com a situação e falou que responderia qualquer questionamento normalmente, como sempre fez.

O treinador não se curvou ao falar do momento delicado do América, do seu trabalho à frente da equipe, e também falou tranquilamente sobre Lúcio Curió.

Às vésperas de um jogo vital para o clube, os dirigentes teriam que estar preocupados com outros fatores, e não com uma entrevista coletiva de treinador, principalmente sendo ele um cara rodado, "macaco velho", como dizemos no popular.

Se, por acaso, alguma pergunta chateasse Diá, ele mesmo poderia responder "não quero falar sobre este assunto" e todos respeitariam.

Mas querer direcionar o que a imprensa vai questionar antes de uma entrevista?

Isto não dá mesmo...

Desgaste desnecessário.

Do blog:

Augusto César Gomes tem razão!

Que desgaste desnecessário...

Que postura deselegante e imprópria.

Um dirigente de futebol pautando jornalistas...

Exigindo uma amnésia coletiva em relação aos problemas extracampo.

Que estranho...

Que novidade bizarra.

Foi um show de desinteligência...

Uma aula sobre nada saber sobre censura.

Tudo na frente do entrevistado...

Que calado e constrangido, tentava manter as aparências...

Diá precisa de tutor?

Certamente que não.

Diá é adulto, vivido e goza de boa saúde...

Portanto, capaz de enfrentar perguntas agradáveis e desagradáveis, com equilíbrio e ponderação.

Por fim, me solidarizo com a assessoria de imprensa do América, que viu suas funções serem usurpadas...

Lamento que o excelente e competente trabalho desse pessoal seja atropelado por um gesto que em nada ajudou ao clube num momento tão difícil.

Um comentário:

Fabiano Costa disse...

Hoje o disparate foi no América, amanhã poderá ser no ABC.

Afinal quase sempre se copia o que há de pior no outro. Os mesmo treinadores, os mesmos jogadores, a mesma ladainha do empresário potiguar que não investe etc...

FABIANO COSTA - ABC FC 2016