domingo, abril 23, 2017

Os campeonatos estaduais são mortos vivos...

Imagem: Autor Desconhecido


Defender os campeonatos estaduais e a permanência das ineficientes federações é legítimo...

É uma questão de gosto.

Entretanto, é preciso melhorar a argumentação...

Apresentar dados sólidos e de fontes confiáveis que justificassem a defesa já seria um ótimo começo.

Agora, afirmar que quem tenta desacreditar os campeonatos estaduais é uma minoria, é de fato um verdade das mais verdadeiras...

É só prestar atenção para perceber como os organizadores dos estaduais cumprem esse papel com louvor.

A cada ano as competições por eles organizadas perdem audiência...

Definham.

Os estádios secos de povo, são uma visão desoladora que afasta patrocinadores...

Afinal, ninguém estaciona carrinho de pipoca em lugares onde falta gente.

Os que ainda “investem”, são os mesmos, os amigos...

O retorno não acontece no campo dos negócios, é muito mais uma satisfação pessoal e uma afirmação social.

Um estádio que cabe 18 mil pessoas e só recebe 3 ou 4 mil almas durante uma competição, é a prova que não é a minoria que perdeu a fé, e sim, a maioria que arranjou coisa melhor para fazer...

E se arranjou, não foi só por conta da violência, do péssimo transporte ou em virtude dos abusivos preços cobrados nas bilheterias para espetáculos na maioria das vezes lastimáveis.

As pessoas cansaram de ver jogos ruins, disputados por times que são acordados para encher linguiça durante janeiro, fevereiro, março e um pouquinho de abril...

Terminado o me engana que eu gosto retornam às catacumbas para dormir por longos oito meses.

Um comentário:

Adail Pires disse...

"É uma questão de gosto." Não é só uma questão de gosto. é também uma questão de sobrevivência. Cafés em fins de tardes, "patrocínios" e outras "parcerias" alimentam egos, fazem vassalos, criam defensores ferrenhos. Não importa se há públicos com 50, 30 ou até 20 pagantes. O que importa é que uma federação promova um verdadeiro torneio seletivo ao qual os serviçais darão o status de "grande campeonato". Simples.
ADAIL PIRES