sexta-feira, maio 05, 2017

Bia Melo do Cruzeiro de Macaíba no "Universidade do Esporte" - 88.9 FM Universitária...

Imagem: Suerllen Marinho


“Chegamos no Juvenal Lamartine praticamente prontas para treinar ou jogar e saímos suadas e sujas. Não existem banheiros”...

“Vão nos fazer jogar às 13h30. Isso é desumano”...

“As pessoas não podem assistir as partidas. O estádio está interditado pois existe riscos estruturais... mesmo assim, o banco de reservas fica embaixo da arquibancada que não pode receber ninguém por causa do risco de cair”.

Bia Melo (foto), atleta da Seleção de Futebol Feminino da UFRN e do Cruzeiro de Macaíba, falando sobre os jogos do campeonato feminino que serão realizados no Juvenal Lamartine. 

Um comentário:

Adail Pires disse...

E o estranho é que isso acontece em um estádio abandonado, mas que quando o Estado resolveu pedir o que lhe é de direito, o eterno dirigente do ano passou uma mão de cal na faixada pra dizer que cuida do imóvel. Até quando vamos assistir essas cenas patéticas de péssimos administradores sendo endeusados e paparicados por seus bajuladores? Quando vão realmente trabalhar para aquilo que garante seus empregos? Quando aprenderão desvincular a figura do amigo da figura do gestor? Que cegueira é essa. Que mediocridade que gera essa mendicância bajulava alimentada por "alôs" e cafés em fins de tardes? O interessante é que cobram profissionalismo desse ou daquele dirigente de clube, apontam as suas "falhas" e execram sem o menor pudor. Interessante é afirmar que os clubes precisam se tornarem viáveis e que a mentora não tem obrigação nenhuma de viabilizar o clube financeiramente. Talvez não tenha mesmo. Nem obrigação nem interesse já que assim agindo, perderia o assistencialismo tão eficiente na hora de eleger determinados gestores.
ADAIL PIRES