segunda-feira, agosto 03, 2020

Xolo Mayor, o mascote do Club Tijuana se prepara para "sofrer" sozinho nas arquibancadas do Caliente Stadium, Tijuana...

Imagem: Getty Images 

Os 25 melhores jogadores dos últimos 25 anos, segundo a FourFourTwo...

Imagem: Tony Marshall/EMPICS/PA via Getty Images

A revista FourFourTwo publicou uma lista de dos jogadores de futebol mais destacados nos últimos 25 anos...

Vai rolar polêmica?

Claro que vai... 

Afinal a publicação é britânica e sua visão é totalmente eurocêntrica. 

01. Leo Messi
02. Cristiano Ronaldo
03. Zinedine Zidane
04. Ronaldo Nazario
05. Ronaldinho
06. Thierry Henry
07. Xavi
08. Andrés Iniesta
09. Paolo Maldini
10. Roberto Baggio
11. Rivaldo
12. Fabio Cannavaro
13. Ryan Giggs
14. Kaká
15. Wayne Rooney
16. Luis Figo
17. Gabriel Omar Batistuta
18. Eric Cantona
19. Modric
20. Busquets
21. Raúl
22. Paul Scholes
23. Romario
24. Sergio Ramos
25. Gianluigi Buffon

Empurra, puxa, segura...

Imagens: Getty Images

O Arsenal renovou seu acordo de patrocínio com a Intel Sports por mais duas temporadas...


O Arsenal renovou seu acordo de patrocínio com a Intel Sports por mais duas temporadas.

Desta maneira, a multinacional permanecerá como parceira de tecnologia do clube londrino até 2022.

Segundo o portal SportBusiness, o relacionamento, que teve início na temporada 2019/2020, gira em torno de £ 500 mil por ano.

Com a renovação, a Intel continuará fornecendo seus serviços de tecnologia para oferecer suporte em todos os jogos do Arsenal, como a tecnologia True View, a qual permite que os torcedores pausem a partida no momento que quiserem para visualizar replays de 360º da perspectiva do próprio jogador dentro de campo.

Segundo o clube inglês, houve um aumento de 90% no número de fãs que utilizam esse tipo de conteúdo quando comparado a outros conteúdos presentes nas partidas.

“Essa tecnologia transformadora redefiniu a forma como assistimos ao jogo que todos amamos, e estamos entusiasmados por trabalhar com a Intel em inovações futuras que melhorarão ainda mais a experiência de nossa base de fãs global”, destacou o Arsenal.

No futebol inglês, a multinacional também renovou contrato com o Manchester City, em parceria que também é focada na tecnologia True View, e conta também com o Liverpool em seu portfólio.

Vou ali abraçar uma galera e já volto...

Imagem: Justin Setterfield/Reuters

Neymar está fora dos planos do Barcelona neste verão (europeu)...

Imagem: Autor Desconhecido

Um possível retorno de Neymar ao Barcelona está descartado, pelo menos por enquanto...

Quem garantiu foi o presidente Josep Maria Bartomeu.

Em entrevista ao “Sport”, jornal da Catalunha, o dirigente explicou que o atual momento financeiro do clube não permite avançar numa negociação para trazer Neymar de volta...


"Este verão não haverá tentativa em relação a Neymar. Inviável. No ano passado tentámos com muita vontade, mas este ano não haverá nenhuma tentativa. Também é verdade que o PSG não tem nenhum interesse em se desfazer do jogador", assegurou Josep Maria Bartomeu, lembrando que o brasileiro tem contrato até 2022.

Sobre Lautaro Martinez, atacante argentino de 22 anos, Bartomeu contou que foram iniciadas conversações, mas que no momento por acordo mútuo entre o Barcelona e a Internazionale a definição sobre o negócio foi adiada...  

“A situação não convida a fazer grandes investimentos”, finalizou Josep Maria Bartomeu.

domingo, agosto 02, 2020

O novo "brinquedo" do tenista Rafael Nadal é um catamarã de 5,5 milhões de euros...


O novo iate de Rafael Nadal... 

O 80 Sunreef Power Great White foi projetado e fabricado no estaleiro Sunreef Yachts em Gdansk, Polônia.

O Great White é um catamarã ultramoderno criado para longos cruzeiros offshore...

O barco de noventa metros custou 5,5 milhões de euros (R$ 30 milhões, na cotação atual).

Ceará de virada derrota o Bahia por 3 a 1 e está a noventa minutos do Bicampeonato da Copa do Nordeste...

Imagem: Gazeta Esportiva

Arsenal derrota o Chelsea por 2 a 1 é Campeão da Copa da Inglaterra...

Imagem: POOL/AFP via Getty Images

Arsenal conquista 14.ª Copa da Inglaterra com dois gols Aubameyang e confirma a condição de recordista da competição mais antiga do mundo...


Todos os campeões da Copa da Inglaterra

Imagem: Getty Images

Arsenal FC          14
Manchester United FC 12            
Chelsea FC 8     
Tottenham Hotspur FC 8             
Liverpool FC 7   
Aston Villa Birmingham FC 7      
Newcastle United FC 6  
Manchester City FC 6    
Blackburn Rovers FC 6  
Everton FC 5     
West Bromwich Albion FC 5       
Wanderers FC 5               
Wolverhampton Wanderers FC 4
Bolton Wanderers FC 4 
Sheffield United United FC 4      
Sheffield Wednesday FC 3          
West Ham FC 3
Preston North End FC 2
Old Etonians FC 2            
Portsmouth FC 2             
Sunderland AFC 2           
Nottingham Forest FC 2
Bury FC2             
Huddersfield Town FC 1               
Oxford University 1        
Royal Engineers 1           
Derby County FC 1          
Leeds United AFC 1
Southampton 1
Burnley FC 1      
Cardiff City FC 1               
Blackpool FC 1  
Clapham Rovers FC 1     
Notts County FC 1           
Barnsley FC 1    
Charlton Athletic FC 1   
Old Carthusians FC 1      
Blackburn Olympic FC 1
Bradford AFC 1
Ipswich Town 1
Coventry City FC 1          
Wimbledon FC 1              
Wigan AFC 1   

A cara de quem perdeu aquele gol que até "a avó" dele faria...

Imagem: Getty Images

FC Porto faz a dobradinha - Campeão da Liga NOS e da Taça de Portugal - e reina em Portugal.


Porto domina Benfica, vence por 2 a 1 e conquista a Taça de Portugal pela 17.ª vez...

Abaixo a lista dos vencedores do torneio.

Sport Lisboa e Benfica   26          
FC Porto 17        
Sporting Clube de Portugal 17   
Boavista FC 5    
Vitória FC de Setúbal 3 
CF Os Belenenses 3       
Sporting Clube Braga 2 
Associação Acadêmica de Coimbra 2      
Vitória SC de Guimarães 1          
Leixões SC          1             
SC Beira-Mar 1 
CF Estrela da Amadora 1
Clube Desportivo das Aves 1

sábado, agosto 01, 2020

Lou Seal, mascote San Francisco Giants (Basebol) torce solitário nas arquibancadas do Oracle Park em San Francisco...

Imagem: Kelley L Cox/USA TODAY Sports/Reuters 

Depois de colocar a bola nas redes André Ayew (22) parte para comemorar...

Imagem: John Sibley/Action Images/Reuters 

David Luiz, do Arsenal, será indenizado por uso indevido de sua imagem...

Imagem: Autor Desconhecido

O zagueiro David Luiz, do Arsenal, ganhou da Wemake Construções na Justiça e irá receber 30 mil reais...

A empresa de construção usou a imagem do jogador numa campanha que satirizava a partida frente à Alemanha no Mundial 2014, que a seleção brasileira perdeu por 7-1.

A Wemake Construções publicou a imagem do jogador a chorando, seguida da frase que disse após o jogo: "Só queria dar alegria ao meu povo"...

Ao lado da imagem outro texto dizia texto: "Quando você contrata amadores para cuidar do sonho de sua família, é quase certeza de 7 a 1".

David Luiz processou a empresa por danos morais e uso indevido de imagem...

Na primeira instância o zagueiro perdeu, agora, após recurso, ganhou.

sexta-feira, julho 31, 2020

Baleia tem medo de Macaca? Parece que sim... Ponte Preta, de virada, vence por 3 a 1 e elimina o Santos.

O Fulham perdeu para o Cardiff City por 2 a 1, em Londres... Mas, é finalista do playoff e enfrenta o Brentford para definir quem vai para a Premier League - No placar agregado Fulham 3 a 2.

Imagem: Andrew Fosker/BPI/Shutterstock 

Não é sobre futebol... é sobre ternura, carinho, companheirismo, parceria, cuidado, respeito e amor.


Eva é uma garota com problemas de alopecia* desde criança, que ela acreditava ter superado...

Um colapso nervoso recente fez com que seu cabelo caísse novamente e quando ela pediu ao namorado para raspar a cabeça ... isso aconteceu!

Alopecia ou calvície é a perda de em parte da cabeça ou do corpo.


Manchester City produz vídeo alertando sobre a falta de água num futuro não muito distante...

O vídeo abaixo é produzido pelo Manchester City fala sobre um futuro em um mundo sem água...

O vídeo postado está em inglês, mas o link que vai direcionar o leitor para página do City possibilitará assistir com legenda em português.

Eis link


Frente a frente quase sempre o goleiro sai em desvantagem...

Imagem: Serena Taylor/Newcastle United/Getty Images

A NBA exibirá jogos com narração e comentários em português...


150 jogos, ao menos, serão exibidos ao vivo com narração e comentários em português no NBA League Pass, em iniciativa inédita para os fãs.

Fonte: Máquina do Esporte

quinta-feira, julho 30, 2020

Os noventa anos da Copa do Mundo de 1930...

Imagem: Diário AS

Bahia se classifica para enfrentar o Ceará na final da Copa do Nordeste num jogo sem graça...

Imagem: Felipe Oliveira/EC Bahia

Com desconfiança, Bahia vence e vai à final da Copa do Nordeste

Pedro Henrique Brandão/Universidade do Esporte

Na segunda semifinal da Copa do Nordeste de 2020, o favoritismo era do Bahia — equipe de maior tradição e investimento da região — contra o Confiança.

Por conta disso, os comandados de Roger Machado não perderam tempo e já partiram para o ataque, principalmente pelos lados do campo.

Mas o ímpeto baiano era barrado pela eficiente defesa sergipana.

A marcação do Confiança estava precisa, os espaços não apareciam.

Então, os jogadores do Tricolor começaram a variar de posição ao mesmo tempo em que os dois laterais, João Pedro e Juninho Capixaba, se aproximavam dos pontas Élber e Clayson, respectivamente, para criar jogadas.

Em uma dessas aproximações, um raro espaço deixado pelos sergipanos foi notado pelo lateral direito João Pedro.

O ex-Palmeiras lançou o centroavante Fernandão, também ex-alviverde, que foi parado pelo goleiro Rafael.

Essa foi a única grande chance do primeiro tempo.

Em contrapartida, o Confiança não aproveitava os contra-ataques.

Sempre pecando no passe final.

Já no segundo tempo, o que se viu foi desorganização.

Em nada lembrava a compactação das defesas.

O jogo ficou mais aberto, porém, isso não significou qualidade.

O excesso de gana e de preciosismo no último terço do campo baixaram o nível do espetáculo em Pituaçu.

Do lado sergipano, os jogadores foram mais ao ataque sem a qualidade necessária.

O lado baiano tinha a qualidade técnica (na figura de Rodriguinho, João Pedro e Juninho Capixaba) e individual (por parte de Élber), mas nada surtia efeito.

As chegadas do Bahia terminavam em chutes para fora ou na interceptação da defesa adversária — o lateral direito Thiago Ennes foi soberano em todo jogo.

Mudar os times era necessário, o Dragão mudou para continuar produzindo sem excelência.

Roger Machado decidiu fazer a primeira substituição aos 41 minutos, Danielzinho, ex-Fluminense, entrou.

Aos 42 minutos após bela jogada individual de Élber, que rolou para Danielzinho, recém chegado na partida, dominar e de longe marcar o gol salvador.

A estrela do técnico Roger Machado deu certo.

Um dos poucos chutes certeiros na meta de Rafael definiu o placar magro dessa semifinal.

Sendo que o arremate de longe foi pouco usado por ambas as equipes.

Passou o clube mais certeiro nesse quesito.

Apesar do resultado positivo, o Tricolor baiano teve sérias dificuldades para furar a bem postada defesa do Confiança.

Roger Machado junto com seu ótimo elenco vai precisar de mais qualidade para vencer a Lampions e igualar o número de títulos de seu maior rival.

A solidão dos Mascotes na pandemia... Blooper, mascote do Atlanta Braves (basebol) acompanha o time nas cadeiras do Truist Park.

Imagem: Kevin C. Cox/Getty Images 

Família Real do Bahrein adquiri ações do Paris FC e também passa a ser a principal patrocinadora do clube...


Desde segunda-feira o Paris FC – antiga dissidência do PSG – tem um investidor de peso...

O fundo de investimento do Reino Bahrein adquiriu 20% das ações do clube da capital francesa.

A ideia dos novos investidores é colocar a equipe que disputa a segunda divisão do Campeonato Francês, na Ligue 1, em no máximo 3 anos...

A família real da Bahrein também passa a ser a principal patrocinadora do clube, com intenção de divulgar a imagem e estimular o turismo europeu no país.

Entretanto o principal acionista permanece sendo o empresário Pierre Ferraci...

Lembrando que os baremitas são donos do Córdoba clube da Andaluzia que joga na terceira divisão do Campeonato Espanhol.

O pequeno Brentford de Londres venceu por 3 a 1 o Swansea e espera o vencedor de Fulham ou Cardiff para decidir a última vaga na Premier League...

Imagem: Ben Evans/Huw Evans/Shutterstock

Clubes brasileiros arrecadaram em 2019, 9% a mais que em 2018...


5,8 bilhões de reais faturaram os 20 principais times do Brasil em 2019, um crescimento de 9% em relação a 2018, de acordo com o Itaú BBA...

Fonte: Máquina do Esporte

quarta-feira, julho 29, 2020

Colecionador brasileiro compra o desenho original dos arcos olímpicos...


1,4 milhão de reais gastou um colecionador brasileiro ainda anônimo para adquirir o desenho original dos arcos olímpicos...

A obra é de 1913.

Fonte: Máquina do Esporte

Nem o braço e nem perna detiveram a bola... ela entrou.

Imagem: Alex Livesey/AFP/Getty Images

Ceará joga o necessário para eliminar um decepcionante Fortaleza...

De nada adiantou vencer o Everton por 3 a 1... O Bournemouth caiu.

Imagem: Catherine Ivill/Reuters

Qatar demonstra interesse em sediar Jogos Olímpicos...


O Catar está a cerca de dois anos de entrar para a seleta lista de países que já sediaram uma Copa do Mundo...

Porém, o país já demonstra querer mais.

O Comitê Olímpico do Catar (QOC) anunciou, na terça-feira (28), que enviou ao Comitê Olímpico Internacional uma solicitação para manter, segundo o documento, “diálogo contínuo sem compromisso” com a finalidade de sediar futuramente os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos...

A movimentação do Comitê Olímpico do Qatar é uma demonstração do interesse do país em receber os Jogos de 2032.

terça-feira, julho 28, 2020

Adama Traoré o atacante mais "escorregadio" do mundo...

Imagem: Cathy Ivill/AP

Cansado de ser agarrado pelos zagueiros adversários, o atacante do Wolverhampton Wanderers, Adama Traoré (a esquerda da foto), de 24 anos, encontrou uma solução...

Passar óleo de bebê no corpo.

Durante o campeonato inglês, o jogador deslocou o ombro por quatro vezes devido aos puxões que acabavam por provocar as dolorosas lesões...

Ao usar o óleo, os adversários passaram a ter maior dificuldade em detê-lo.

Não deve ser muito fácil deter um atleta forte como Adama Traoré...

‘Escorregadio’ então, a tarefa se torna bem mais difícil.

"É algo que tivemos que fazer para proteger o Adama. Os defensores adversários impotentes com o fato do Adama ser veloz, puxam-lhe o braço. Isso causou luxações nos ombros durante os jogos. Ao lubrificar os seus braços com o óleo torna-se mais difícil para o adversário agarrá-lo e ajuda a evitar danos ", confirmou um membro da comissão técnica do Wolverhampton.

Surf in Bronte Beach - Sydney, Austrália...

Imagem: Jenny Evans/Getty Images 

Como a gravidez de jogadoras de futebol tem sido tratada no mundo...

Imagem: Glamour Imagens

Como a gravidez de jogadoras de futebol tem sido tratada no mundo

Por Marcus Arboés/Universidade do Esporte

Recentemente, a atacante Cristiane, do São Paulo e da Seleção Brasileira, anunciou o congelamento dos óvulos, planejando uma gravidez futura, após a aposentadoria, em conjunto com a sua noiva.

Ela não é a primeira jogadora a tomar a decisão de ser mãe apenas após pendurar as chuteiras, e isso traz à tona uma questão que faz parte do futebol feminino e que deve ser lembrada e observada com atenção: a gravidez de atletas.

Em diversos esportes, desde os com maiores investimentos aos de menor visibilidade, existem inconsistências e muitas atletas acabam prejudicadas por exercerem a escolha de ser mãe.

Isso não é diferente no futebol, seja pela maneira como essas jogadoras são enxergadas ou por questões trabalhistas.

Os contratos de mulheres, futebolistas ou de quaisquer profissões, em muitos países, são discutidos e atacados devido à possibilidade de gravidez.

No caso de esportistas, não só os vínculos empregatícios como os de patrocínio podem ser afetados.

Apesar de ser uma questão que nem sempre vem à tona, é necessário sempre observar de que maneira as diferentes culturas e legislações atuam em relação à gravidez de jogadoras de futebol e qualquer outro direito, no intuito de que a modalidade evolua e alcance alguma igualdade futura com o futebol masculino.

Qual é o papel da FIFA?

Antes de apresentar e levantar qualquer discussão sobre a maneira com a qual os países e as federações lidam com essas situações, é preciso entender de que modo a entidade internacional responsável pelo futebol as trata.

A FIFA possui um sistema educativo chamado “FIFA Medical Network”, em que há publicações de cursos relacionados à saúde.

Dentre esses, há um sobre saúde de atletas mulheres, que possui três lições relacionadas à gravidez.

Assim como em diversos outros campos do esporte, o posicionamento é aberto, com diretrizes voltadas a sugestões que possam não ferir a liberdade individual de atletas, ainda que atuando de forma passiva, já que cada país pertencente ao núcleo da FIFA possui a sua legislação e a sua visão sobre esses casos.

Basicamente, se considera que a decisão de continuar jogando (ou não) futebol de alto nível é da jogadora, desde que ela esteja ciente dos riscos possíveis.

A sugestão dos autores é de que, caso opte por continuar jogando, as atividades nutricionais devem ser acompanhadas com zelo, assim como ter observação obstétrica.

Além da possibilidade óbvia de um trauma, são listados os aspectos do desempenho de uma futebolista que podem ser afetados pela gravidez:

• A capacidade de mudança de direção é reduzida;
• Pode aumentar o risco de lesões;
• A náusea e a fadiga da gravidez podem reduzir ou anular o prazer do exercício;
• A anemia fisiológica pode prejudicar a resistência.

Na mesma lição, quando o texto trata das atividades pós-parto, há apenas uma análise crítica da falta de coesão nas diretrizes desses exercícios.

Ou seja, os casos de gravidez são tratados de forma individual, de lugar para lugar, de clube para clube, já que há uma inconsistência entre as referências de pesquisa.

Escolha da jogadora ou imposição do mercado?

É ideal e positivo crer que a escolha de continuar jogando seja realmente das jogadoras.

Muitas atletas, que desejam ser mães, no entanto, não têm tanto poder de escolha e acabam postergando o sonho, para que ele não interfira na carreira.

Isso é compreensível, já que são nove meses longe das atividades — num esporte em que as carreiras são curtas —, ou com os riscos acima citados, além do período de readaptação pós-parto.

E, ainda, por cima, existem as questões contratuais e legislativas, que acabam sendo um problema para elas.

Muitos países, federações e clubes, ainda atuam de maneira retrógrada em relação a isso, mas também é importante entendermos de que forma a comunidade do futebol recebe a gravidez das jogadoras.

Ainda que seja uma questão pessoal, existem interferências diretas da comunidade na vida profissional delas.

Diante desses pilares, seguirão aqui observações de exemplos de diferentes países e como cada um deles lida com essas questões, citando casos de jogadoras, clubes e organizações.

No Brasil

Quando falamos de gravidez no futebol brasileiro, já nos lembramos do tão repercutido caso da lateral-esquerda Tamires, do Corinthians e da seleção.

Mãe aos 21 anos, ela teve que parar de jogar futebol duas vezes — uma por causa da gravidez, outra para cuidar do filho.

No entanto, sua inspiradora trajetória é isolada, não à toa, era a única mãe entre as 23 atletas que disputaram o último Mundial.

A própria Tamires entende que a sorte dela foi ter sido mãe ainda muito jovem, para que pudesse ter a chance de voltar a jogar futebol e, depois dos 30 anos, chegar ao auge da carreira para disputar uma Copa do Mundo.

Além disso, há outra singularidade no caso dela: o fato de o marido ter assumido as maiores responsabilidades com o filho, enquanto ela se dedicava à carreira.

Na realidade das jogadoras brasileiras, existem outros padrões de estrutura familiar em que, muitas vezes, isso não é possível.

Apesar de ser comprovado por especialistas que uma atleta pode recuperar o bom rendimento após a gravidez, ainda há o medo do desemprego.

No Brasil, a legislação assegura que não haja rescisão contratual em casos de gravidez, mas isso não diminui o receio das atletas.

Muitos contratos são de curto prazo e só estipulam ajudas de custo e ainda existe o problema da profissionalização do futebol feminino no país.

Essa é uma luta recente da categoria no nosso país e no mundo todo.

Muitas jogadoras que vivem do futebol estão à mercê do amadorismo e até precisam de uma profissão secundária, ou seja, não possuem sequer carteira assinada.

As agremiações, recentemente começaram a agir para fazer o futebol feminino crescer no país, e podemos ver como os brasileiros aderiram à modalidade quando recordes de audiência foram batidos ao ver a seleção feminina jogar mundiais e olimpíadas — e isso é ótimo —, mas não anula a baixa visibilidade/público do esporte fora de eventos maiores.

Isso existe devido ao preconceito estrutural que há com a modalidade, seja por retorno financeiro ou por um aspecto cultural machista ainda enraizado no brasileiro.

Se existe preconceito com a modalidade por si só, imagine que uma jogadora, num cenário ideal em que o clube renova seu contrato, engravida.

Como os torcedores receberiam a informação?

Guardadas as devidas proporções, vale o paralelo com o futebol masculino, neste caso, quando um atleta machucado permanece recebendo seu salário integral enquanto está no departamento médico e a torcida cobra produtividade.

Aqui, a comunidade do futebol já não se importa muito com a realidade das atletas, imagine a de uma atleta grávida.

Nos Estados Unidos

Se no Brasil enfrentamos todos esses problemas, os Estados Unidos, apesar de também existir parte preconceituosa na sociedade, parecem estar alcançando um cenário ideal.

Ainda que não exista igualdade salarial e que isso tenha sido discutido amplamente, inclusive como problema global na modalidade, as coisas parecem estar indo bem.

A seleção foi campeã mundial e detém a hegemonia no futebol feminino, o esporte se populariza a cada temporada, as atletas possuem maior voz e visibilidade, ainda que várias conquistas não tenham sido alcançadas no âmbito da igualdade.

Se observarmos todos os pontos, talvez o mais preocupante seja o dos riscos ou a questão do encurtamento da carreira.

Podemos utilizar vários exemplos de jogadoras cujas situações foram bem mais práticas, mas não necessariamente fáceis, até pela realidade do futebol local.

A craque Alex Morgan (foto), da seleção americana e do Orlando Pride, foi mãe pela primeira vez há pouco mais de um mês.

Antes disso, ela treinou até o sétimo mês de gestação, ainda que em atividades com menos exposição ao risco.

Sendo uma figura carismática, ela estampou capa de revista durante a gestação e não teve problemas com a patrocinadora.

A questão do patrocínio, especificamente, no caso dela, da Nike, é algo a se ressaltar.

Antigamente, algumas atletas acabavam não atingindo as metas de rendimento por causa da gravidez, tendo redução nos valores.

A Nike reconhece isso e, só recentemente, passou a suspender a cláusula de desempenho durante 12 meses em casos de atletas gestantes.

Outra atacante, também do Orlando Pride, Sydney Leroux, já foi mãe duas vezes.

Depois de parar pela segunda vez para o período de gestação, ela foi ovacionada por um estádio inteiro ao voltar para os gramados, e sequer era o estádio do seu time.

Isso mostra como os torcedores são receptivos e abraçam a escolha das atletas no país.

Na Espanha:

Se nos Estados Unidos o apoio ao esporte por parte dos torcedores tem crescido, na Espanha é maior ainda.

No entanto, se no Brasil o estado assegura os direitos trabalhistas, na Espanha, mesmo com um nível de rendimento maior, existe uma crise que dura há anos.

Os campeonatos de futebol feminino na Espanha, ano após ano, vão se tornando mais populares, a seleção tem se fortificado e as torcidas têm comprado a ideia e valorizado mais a modalidade.

O recorde de público em uma partida de futebol feminino, inclusive, é do Campeonato Espanhol.

Apesar disso, a modalidade enfrentou, por anos, problemas para alcançar a profissionalização.

São vários direitos trabalhistas que foram cobrados pelas futebolistas, cujo regimento perante elas e os clubes eram as leis desportivas.

Os acordos financeiros de apoio entre Federação, clubes e jogadoras não tiveram um desfecho, a ponto de uma greve no futebol feminino espanhol ter iniciado no final de 2019.

O problema chegava a ser tão absurdo, que existiam cláusulas “antigravidez” nos contratos, ou seja, os clubes poderiam rescindir com jogadoras que engravidassem, sem pagar indenizações.

Muitas jogadoras não tinham coragem de denunciar e o estado não entrava na discussão para tentar contribuir com mudanças no esporte.

Só em junho, a Federação Espanhola de Futebol (RFEF) profissionalizou, de fato, o futebol feminino.

Falta muito para alcançar a igualdade

Com esses três países citados, é possível vermos que ainda caminhamos a passos lentos, e que não é à toa que os Estados Unidos possuem um futebol feminino tão forte, ainda que necessite de evoluções.

Mas vale ressaltar que Brasil e Espanha são potências do futebol masculino, que ainda estão rastejando para alcançar degraus superiores no esporte feminino.

Ainda assim, em outros lugares do mundo, mesmo com grande desenvolvimento econômico, a gravidez no futebol feminino não é tão simples.

A defensora Hwang Bo-ram, por exemplo, chegou a passar mais de um ano sem atuar para ser mãe, numa sociedade com estruturas patriarcais muito mais consolidadas.

Como Tamires, do Brasil, ela também era a única coreana mãe na Copa e, na verdade, era a única a ter voltado a jogar pela seleção após a gravidez.

Assim como a lateral brasileira, ela também teve o suporte do marido que passou por cima dos padrões sociais para que ela exercesse sua profissão.

Se nesses países, onde há uma renda considerada alta e estrutura para que mulheres possam jogar de modo profissional, existe problema, imagine para aqueles onde o futebol não gera tanta renda e onde as configurações sociais são ainda mais preconceituosas com as mulheres.

A FIFA, assim como a CBF e outros órgãos, caminha lentamente, mas ainda buscando uma evolução do futebol feminino em diversos meios.

Ainda que não caiba a essa entidade mudar a problemática da gestação no futebol feminino, ela ainda pode tentar influenciar as federações a buscarem a validação de direitos fundamentais específicos.

Como membros de uma sociedade é imperativo que trabalhemos no sentido de construir um futuro onde atletas e mulheres possam exercer o seu poder de escolha e realizem os seus sonhos em campo e na construção de suas famílias como sintetizou Sydney Laroux, atacante do Orlando Pride:

“Nós muitas vezes achamos que, quando começamos uma família e temos filhos, nós não podemos continuar com nossos sonhos e ambições. Acho que é muito importante ver que a vida não para, e você pode ter uma família e ter uma carreira. É possível fazer as duas coisas ao mesmo tempo”.