sábado, abril 19, 2014

O goleiro não evitou e o dublê de goleiro, também não...

Imagem: World Soccer

Os trapalhões: CBF e STJD...

O imbróglio que suspendeu a partida entre Joinville Portuguesa de Desportos, segue a seguinte cronologia:

01 A CBF foi informada da decisão judicial no dia 10 de abril...
Mente, agora, ao dizer não ter sido informada...
O site da justiça de São Paulo, desmente a CBF.

02 A Portuguesa de Desportos solicitou adiamento do jogo...
A CBF insistiu e marcou a partida, numa flagrante afronta a uma decisão judicial...
A CBF ignorou a liminar e marcou o jogo.

03 O presidente da Portuguesa politicamente mandou a equipe para o campo...
Errou...
Sua decisão também afrontou a decisão da justiça.

Como não tenho profundidade para discutir o assunto e como não tenho nenhum compromisso com quer que seja, não opino.

Entretanto, me parece lógico que as leis federais tenham primazia e que qualquer decisão judicial tenha que ser cumprida.

Ah...
A justiça desportiva não foi desmoralizada...

Ela, a justiça desportiva, sempre fez todo o esforço para não ser respeitada.


Gabriel Garcia Marquez e seu encontro com Heleno de Freitas...



 Imagem: Autor Desconhecido


É uma homenagem a Gabriel Garcia Marquez...

Como é uma homenagem, poderia ter escolhido qualquer texto escrito por ele, mas por pura sorte, encontrei um que fala de futebol...

Melhor que isso...

Que conta a primeira vez que o escritor colombiano foi a um estádio de futebol...

E ainda melhor...

O destino quis que Gabriel Garcia Marquez, em sua primeira vez numa arquibancada tivesse diante de seus olhos...

Heleno de Freitas...

O nosso Heleno de Freitas.

Pensei em tentar traduzir...

Recuei...

Traduzir quebraria o encanto, furtaria palavras e sentimentos...

Portanto, deixo no original.

“Y entonces resolví asistir al estadio. 

Como era un encuentro más sonado que todos los anteriores, tuve que irme temprano. 

Confieso que nunca en mi vida he llegado tan temprano a ninguna parte y que de ninguna tampoco he salido tan agotado.

Alfonso y Germán no tomaron nunca la iniciativa de convertirme a esa religión dominical del fútbol, con todo y que ellos debieron sospechar que alguna vez me iba a convertir en ese energúmeno, limpio de cualquier barniz que pueda ser considerado como el último rastro de civilización, que fui ayer en las graderías del municipal. 

El primer instante de lucidez en que caí en la cuenta de que estaba convertido en un hincha intempestivo, fue cuando advertí que durante toda mi vida había tenido algo de que muchas veces me había ufanado y que ayer me estorbaba de una manera inaceptable: el sentido del ridículo. 

Ahora me explico por qué esos caballeros habitualmente tan almidonados, se sienten como un calamar en su tinta cuando se colocan, con todas las de la ley, su gorrita a varios colores.

Es que con ese solo gesto, quedan automáticamente convertidos en otras personas, como si la gorrita no fuera sino el uniforme de una nueva personalidad. 

No sé si mi matrícula de hincha esté todavía demasiado fresca para permitirme ciertas observaciones personales acerca del partido de ayer, pero como ya hemos quedado de acuerdo en que una de las condiciones esenciales del hinchaje es la pérdida absoluta y aceptada del sentido del ridículo, voy a decir lo que vi – o lo que creí ver ayer tarde – para darme el lujo de empezar bien temprano a meter esas patas deportivas que bien guardadas me tenía. 

En primer término, me pareció que el Junior dominó a Millonarios desde el primer momento. 

Si la línea blanca que divide la cancha en dos mitades significa algo, mi afirmación anterior es cierta, puesto que muy pocas veces pudo estar la bola, en el primer tiempo, dentro de la mitad correspondiente a la portería del Junior. (¿Qué tal va mi debut como comentarista de fútbol?).

Por otra parte, si los jugadores del Junior no hubieran sido ciertamente jugadores sino escritores, me parece que el maestro Heleno habría sido un extraordinario autor de novelas policíacas. 

Su sentido del cálculo, sus reposados movimientos de investigador y finalmente sus desenlaces rápidos y sorpresivos le otorgan suficientes méritos para ser el creador de un nuevo detective para la novelística de policía. 

Haroldo, por su parte, habría sido una especie de Marcelino Menéndez y Pelayo, con esa facilidad que tiene el brasileño para estar en todas partes a la vez y en todas ellas trabajando, atendiendo simultáneamente a once señores, como si de lo que se tratara no fuera de colocar un gol sino de escribir todos los mamotretos que don Marcelino escribiera. 

Berascochea habría sido, ni más ni menos, un autor fecundo, pero así hubiera escrito setecientos tomos, todos ellos habrían sido acerca de la importancia de las cabezas de alfiler. 

Y qué gran crítico de artes habría sido Dos Santos – que ayer se portó como cuatro – cortándole el paso a todos los escribidorcillos que pretendieran llegar, así fuera con los mayores esfuerzos, a la portería de la inmortalidad. 

De Latour habría escrito versos. 

Inspirados poemas de largometraje, cosa que no podría decirse de Ary. 

Porque de Ary no puede decirse nada, ya que sus compañeros del Junior no le dieron oportunidad de demostrar al menos sus más modestas condiciones literarias.

Y esto por no entrar con los Millonarios, cuyo gran Di Stéfano, si de algo sabe, es de retórica.

No creo haber perdido nada con este irrevocable ingreso que hoy hago – publicamente – a la santa hermandad de los hinchas. 

Lo único que deseo, ahora, es convertir a alguien. 

Y creo que va a ser a mi distinguido amigo, el doctor Adalberto Reyes, a quien voy a convidar a las graderías del Municipal en el primer partido de la segunda vuelta, con el propósito de que no siga siendo – desde el punto de vista desportivo – la oveja descarriada.”
 

sexta-feira, abril 18, 2014

Quem elege é responsável e cúmplice...

Charge: Mário Alberto

Sabem tudo de como não saber nada...

Começa hoje o Campeonato Brasileiro...

Começa por ter que começar...

Sem promoção, sem festa, sem alarde...

Começa melancólico, acabrunhado, quase sem ser notado.

Apito devorador de esperanças...

Charge: Mário Alberto

E agora? Como explicar o inexplicável?

A Telexfree, fugiu daqui e foi tentar se esconder nos Estados Unidos...

Feliz, a turma da pirâmide imaginou que ia deitar e rolar...

Chegou até a fechar um acordo de patrocínio com o Botafogo, coisa que ninguém entendeu e nem o Botafogo soube explicar.

Azar?

A Telexfree quebrou...

Pediu concordata por uma dívida superior a um bilhão de reais.

E o Botafogo, todo endividado, anunciou Emerson Sheik e Vagner Mancini...

Agora, vai.

O dono do território...

Imagem: Getty Images/David Ramos

A informação é "velha", é fria como diz o jargão jornalístico... mas a notícia é alvissareira. Parabéns Dr. Paulo Maia.

Paulo Maia, magistrado em Mossoró, mostrou que se no leste os juízes hesitam; no oeste, ele, não está disposto a ceder a frouxidão.

Um torcedor do Potiguar de Mossoró, condenado inicialmente a oito meses de detenção em virtude de ter dado causa a distúrbios no estádio Nogueirão, teve a pena substituída...

O baderneiro está impedido de aproximar dos estádios onde aconteçam jogos do Potiguar...

Para isso, terá que se apresentar em estabelecimento indicado pelo juiz da execução, duas horas da partida e lá permanecer duas horas após o encerramento do jogo.


Um amor que não resiste as provações... um amor que está condicionado as vitórias.

Imagem: Getty Images

Torcedor exige amor e lealdade, mas retribui com a ingratidão e a perversidade...

O insustentável peso do ser

Por Juca Kfouri.

Quando vejo alguns torcedores do Barcelona, que ganhou tudo e mais um pouco nos últimos anos, tanto que havia 11 anos que não perdia três jogos seguidos, ofenderem o time sem poupar nem mesmo Lionel Messi, me lembro de uma coisa e constato outra:

1. os fanáticos brasileiros não têm o monopólio da estupidez;

2. o Homem é mesmo um projeto inviável…

Do blog

Talvez coisas assim tenham transformados os jogadores de futebol em homens distantes e frios profissionais...

Sempre me aborrecem essas atitudes imaturas, mesquinhas, volúveis e de um histerismo quase infantil.

Tenho que concordar com o Juca...

Não estamos sós no mundo da estupidez e, lamentavelmente,  os homens são mesmo um projeto fadado ao fracasso.

quinta-feira, abril 17, 2014

Olympiakos Piraeus... Selfie.

Imagem: World Soccer

Copa do Brasil... Santos elimina o Mixto e Ruy Cabeção, abre o verbo...

No meio da declaração, Rui fala de sua passagem pelo Alecrim...

Não cita o nome do clube, mas fala do tempo que passou no "norte" (na verdade, nordeste), das dificuldades que ele e seus companheiros enfrentaram e das ameaças que sofreram do "bilionário" dono do clube...

Vale a pena ouvir.

Por do sol...

Imagem: Getty Images/Matt King

América vence o Globo por 2x1 e está com as mãos na taça de campeão...



 Imagens: Autores Desconhecidos/Arte: Fernando Amaral



Felizmente, não havia franco-atiradores...

Melhor assim, pois o futebol, mesmo carcomido pelos vorazes bicos dos corvos e dos urubus e pelos dentes afiados das hienas loucas por dinheiro, ainda é para a maioria das pessoas, diversão e prazer...

A bola rolando, ainda nos remete a infância e a adolescência, quando quase todos nós sonhamos em ser um jogador de futebol.

Foi o que se viu no Barretão...

Bola rolando.

Globo e América, as duas melhores equipes do campeonato estadual de 2014, proporcionaram uma partida digna.

Jogaram para ganhar...

Jogaram sem receio de perder.

O Globo foi a luta e aos 13 minutos marcou seu gol...

Renatinho foi o autor.

O América não tremeu...

Manteve o controle dos nervos e com isso, controlou o jogo.

Aproveitou a falhas do sistema defensivo do Globo...

E acabou conseguindo uma justa vitória...

Max, aos 9 e aos 26 minutos da segunda etapa, com ajuda do goleiro Rafael, garantiu a vantagem que o América terá no jogo da volta no estádio Arena das Dunas.

Digo e repito...

O América tem um elenco mais qualificado e mais experiente...

Os rubros tem um melhor conjunto e, por isso, só vão deixar de levar a taça para a Rodrigues Alves, caso um surto de incompetência se abata sobre eles...

No entanto, é preciso ter respeito pelo adversário...

Afinal, o futebol é uma caixinha de surpresas, no campo... só no campo.

quarta-feira, abril 16, 2014

Impondo respeito com o pé no peito...

Imagem: Alfred Harder

O legado dos estaduais...

1 Campeão...

500 Clubes sem atividade...

12 mil desempregados.

As informações acima constam no site do Bom Senso FC.

Mas, os 27 presidentes das federações estaduais e os 20 presidentes dos clubes da primeira divisão, tem coisa melhor para fazer;

Cuidar de seus mesquinhos interesses pessoais.

Antes de apanhar, a bola se mandou... mas o atacante, não.

Imagem: AFP/Getty Images

A CBF errou... conte uma novidade, por favor.

A CBF no caso do Icasa, errou...

Errou como errou em relação a Portuguesa e o Flamengo...

Mas e daí?

No Brasil o errado é o certo e o certo é o errado.

Gracias a la vida!

Imagem: World Soccer

Marco Polo Del Nero... O novo rei do futebol.

Marco Polo Del Nero foi coroado...

Vai reinar a partir de 2015...

Os vassalos estão felizes, pois seus poderes estão conservados.

Pobre futebol brasileiro...

Sempre refém da sua própria covardia.

Dia de sol em Hull, Inglaterra...

Imagem: World Soccer

E então, o Icasa volta ou não volta... vota ou não vota... Baderna FC e tome aclamação.

O Icasa tem em seu poder uma liminar que diz que a Série A, é seu lugar...

E já que a liminar lhe colocou na Série A, se ninguém conseguir cassar, o Icasa vai poder votar, hoje, em quem o Marin mandar.

Ou alguém acha que o Icasa vai se abster?

Todo mundo estava lá, menos a bola...

Imagem: AP/Michel Probst