sábado, setembro 20, 2014

Hulk vs Artur...

Imagem: Trivela

Os covardes vaiaram Aranha na Arena Grêmio...

O goleiro Aranha voltou a Arena do Grêmio...

Novamente, não perdeu...

Empatou.

Porém, o 0a 0 é o que menos importa...

O que foi realmente importante é que Aranha, o agredido, o injuriado, e o humilhado, na vez passada, desta vez, foi vaiado.

Só vaiado...

Acovardados, os gremistas racistas, vaiaram, mas não foram tão bravos a ponto de exibir sua estupidez de forma tão explicita como anteriormente, fizeram.

O Brasil é um país estranho...

Vaia-se a vítima.

Divirtam-se meninas... o campo é bom, os uniformes são ótimos e as pessoas amam futebol; foram ver vocês.

Imagem: Gothia Cup

O América está unido, diz Ricardo Bezerra...

Tomara que Ricardo Bezerra, vice de futebol do América esteja correto ao afirmar que o grupo (plantel, significa: lote de animais de boa raça, especialmente bovinos e equinos, reservados para a reprodução. Grupo de animais selecionados) está unido e que tudo ficou ainda melhor, depois que Max tirou com seu punho, o cisco do olho direito de Rodrigo Pimpão.

sexta-feira, setembro 19, 2014

Oliver Kahn... num dia não muito feliz.

Imagem: Picture Alliance

Todo mundo sabe como ele faz isso, menos o porquinho inocente... sabe nada, né?

Charge: Mário Alberto

Jovens atletas... Enfim, combate aos ratos.

Projeto protege jogadores de futebol em formação

Por Juca Kfouri

Um projeto de lei apresentado pelo líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), pretende alterar a legislação geral sobre desporto com o objetivo de dar mais segurança aos atletas de futebol em início de carreira, regulamentar a realização das chamadas peneiras e aumentar o controle e a transparência da atividade desempenhada pelos olheiros.

O projeto será analisado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado, onde está aberto o prazo de recebimento de emendas.

Pelo texto, os únicos representantes legais dos atletas em formação menores de 18 anos serão os pais dos jovens, admitindo-se outro representante legal apenas no caso do atleta ter capacidade de praticar todos os atos da vida civil.

Os olheiros não terão mais direito contratual preferencial sobre o jogador e todos os vínculos contratuais estabelecidos entre eles e o menor de idade serão considerados nulos.

“A proposição tem o intuito de dar maior transparência a uma atividade profissional de prática corrente no Brasil, mas que, por não ter regras definidas, é alvo de pessoas desonestas, os chamados olheiros ou recrutadores, cujo nome oficial é observador de atletas em formação”, avalia Humberto.

O senador chama a atenção para um estudo divulgado pelo Unicef em abril deste ano, que mostra que os ambientes destinados à prática esportiva nem sempre se constituem em espaços seguros, onde os direitos da infância e da adolescência são respeitados.

Segundo a pesquisa, realizada na Bahia, meninos e meninas que frequentam centros de formação de atletas para o futebol, como clubes e escolinhas privadas de futebol, são expostos a riscos como profissionalização precoce, exploração e abuso sexual e afastamento do ensino regular. 

A pesquisa classificou a situação no país como preocupante e cobrou melhorias na legislação brasileira.

Para dar mais garantias aos atletas em formação, o projeto assegura que as peneiras, atividades-teste de recrutamento, sejam feitas de forma regrada e por pessoas devidamente cadastradas.

Além disso, exige a presença do representante legal do atleta e de pelo menos um médico no local do teste e que o responsável pelo evento forneça água e comida para as jovens em caso de duração de quatro horas ou mais.

O projeto estabelece ainda que a atividade de observador será exclusiva de pessoa física cadastrada na entidade nacional de administração do desporto, no caso a CBF.

De acordo com o texto, o olheiro terá que auxiliar entidades de prática desportiva profissional ou formadora de atleta a recrutar atletas em formação com idade a partir de 14 anos e promover, por recursos próprios ou das instituições, as atividades-teste de recrutamento. 

As peneiras terão de ser comunicadas no prazo mínimo de 30 dias de antecedência à entidade regional esportiva.

Os olheiros ainda serão obrigados a assegurar que a inscrição do atleta menor de 18 anos seja autorizada por meio de documento escrito, assinado e com firma reconhecida dos representantes legais definidos, e a exigir a apresentação de atestado médico de capacidade física do atleta inscrito na peneira.

Os profissionais não poderão cobrar taxas ou outros pagamentos, a qualquer título, de atletas em formação ou de seus representantes legais.

Quem descumprir as normas estará sujeito às penalidades previstas na Lei que institui normais gerais sobre desporto. 

Entre as sanções, estão advertência, multa, suspensão e até desfiliação ou desvinculação.

As entidades nacionais e regionais de administração de desporto e de prática desportiva terão 180 dias, a partir da entrada em vigor da lei, para se adequar às determinações.

* As partes em negrito são de inteira responsabilidade do Fernando Amaral FC. 

Mole, mole, né, parceiro?

Imagem: Trivela

Novo treinador do ABC, saiu do América Mineiro pela mesma razão que Zé Teodoro, saiu do ABC... Falta de vitórias.

Moacir Junior é o novo treinador do ABC.

Que seja bem-vindo...

Que consiga colocar o ABC novamente nos trilhos...

Mas...

Lembrem-se...

Moacir Junior deixou o América Mineiro pela mesma razão que Zé Teodoro...

Não ganhava de ninguém e todo mundo em Minas Gerais dizia ser ele, retranqueiro.

E olhem que apesar de não ser nenhuma Brastemp, o América Mineiro, não fosse a lambança de sua inepta direção, estaria numa situação bem melhor que o alvinegro, embora numa descendente.

quinta-feira, setembro 18, 2014

Werder Bremen em 1964...

Imagem: Imago

O governo federal não dá a mínima bola para o esporte...

A menos de oito meses para o fim do prazo de entrega das obras do Programa de Aceleração do Crescimento, do Governo Federal, conhecido por PAC 2, apenas 7% dos empreendimentos relacionados ao esporte foram concluídos. 

Estão previstas 9.824 obras, mas somente 660 foram entregues.

Fonte: Blog do José Cruz.

Existem uns clubes na Série A, que o Coringa não vai abandonar...

Charge: Mário Alberto

Zé Teodoro, caiu... na verdade, foi derrubado.

A queda do Zé

Derrubaram o Zé Teodoro...

Nenhuma novidade ao menos para mim...

Já o vinham empurrando faz tempo...

Quem têm bons ouvidos, percebia pela insistente cantiga de grilo a cada transmissão ou resenha que a lenha estava sendo colocada no fogo que aquecia a frigideira encarregada de fritar o Zé.

Resolve o problema?

Não sei...

Afinal, “o futebol é caixinha de surpresas...”

Surpresas, estranhezas e malvadezas, mas quase sempre de safadezas.

Mas só o Zé?

Óbvio meu caro...

Você e eu, nunca presenciamos a renúncia de nenhuma diretoria, durante uma tempestade – nem pela metade e nem por inteiro...

Dispensar a boleirada toda, nem pensar...

Seria a admissão pública do erro e depois, custaria caríssimo para rescindir e mais caro ainda contratar...

Portanto, saiu o Zé e outro vai entrar em seu lugar...

Tomara o sucessor, consiga tirar das “vacas” magrinhas, o mesmo leite que o Zé tirou.

Depois do Zé, vem um caminhão de contratações?

Acho que não...

Lendo o blog do E.T, um alvinegro, hoje, preto de desgosto e branco de irritação, descobri uma declaração de Judas Tadeu, superintendente de futebol, que desfaz esperanças e cria sérias apreensões...

''O orçamento está muito apertado, que todo dinheiro que entra no clube é para pagar as contas do futebol e que a margem que tem para contratação de reforços é muita curta, que não tem como fazer mágica''.

Mitroglou o voador...

Imagem: Trivela

Juvenal Juvêncio mostra como os clubes sonegam e o quanto são submissos...

Em entrevista para o canal Fox Sport, Juvenal Juvêncio, ex-presidente do São Paulo e cobra criada no mundo do futebol fez algumas afirmações bastante interessantes...

“Os clubes pagam direitos de imagem para os jogadores para não pagar impostos.”

“Liga de clubes é imprescindível.”

“Ricardo Teixeira, deveria se limitado à Seleção Brasileira e deixado o Campeonato Brasileiro para os clubes tomarem conta.”

A que eu mais gostei foi da primeira.

quarta-feira, setembro 17, 2014

Atacantes de ABC e América num encontro casual em algum lugar de Natal...


Imagem: Fernando Amaral

ABC cai da Ponte...

Meu caro amigo alvinegro...

Se você, depois de se divertir com a derrota de seu maior rival, pensava que teria uma noite gloriosa, vencendo a Ponte Preta, das duas, uma...

Ou você estava morando longe de Natal e só agora, retorna, ou então, acredita em milagres.

Porém, se você tinha lá suas dúvidas e andava ressabiado, mas ainda sim acreditava, vamos lá...

Você tem ido ao estádio nas últimas partidas do ABC?

Viu o clássico?

Se tem ido e viu, sou obrigado a crer que você acredita que a fé move montanhas.

Zé Teodoro é o único culpado?

Em parte, sim...

Mas sejamos honestos...

Você confia no elenco do ABC?

Fora os goleiros, a zaga lhe passa segurança?

O meio de campo repleto de volantes da época que não havia direção hidráulica e meias-furadas lhe dá tranquilidade em relação ao apoio a zaga e ao avanço coordenado e qualitativo nas arremetidas em direção a zaga adversária?

Seus atacantes, irritantes, enervantes, quase cones, lhe fazem sentir o peito palpitar de esperança quando a bola chega na área do oponente ou lhe provocam arritmias diante das inúmeras raivas que fazem você passar, nos mais de noventa minutos em que insistem em perder gols e chutar para fora?

Zé Teodoro é “covarde” ou sabe a diferença entre músculo e patinho e, por isso, joga fechadinho, recuadinho, timidozinho...

O ABC está nas quartas de final da Copa do Brasil por méritos ou por incompetência do Novo Hamburgo?

E, por fim, caso Zé Teodoro caia, você vai exigir do novo treinador, que contra o Cruzeiro, ele jogue para frente, quase uma Alemanha?

Pois é...

Desculpe, mas antes de qualquer coisa, é preciso dar respostas para essas perguntas...

Só depois, qualquer discussão pode começar.

Sobre o jogo?

Fácil...

A Ponte Preta deitou e rolou...

Minha opinião sobre o ABC?

Quando o ABC jogar, comento...

Por enquanto, só lamento.

Estados Unidos, lugar onde as mulheres são respeitadas e valorizadas com ações e não com falácia...

Imagem: Gothia Cup

América perde em Goiás e só não está na zona de rebaixamento, graças a Minas Gerais...

Gratidão

Na próxima partida entre os américas, o mineiro e o potiguar, aconteça onde acontecer, a direção do América potiguar tem o dever moral de pagar um lauto banquete para seus pares do América Mineiro...

No comes e bebes a ser oferecido nada pode faltar...

Acepipes com finas iguarias e um menu digno da mais nobre estirpe, além é claro, de caríssimos vinhos, vindos das mais afamadas adegas do velho mundo, água importada das fontes de França e uísques escoceses envelhecidos em barris seculares devem estar à disposição dos comensais.

Por que?

Hora, hora, meu caro leitor...

Não fosse a gestão para lá de incompetente dos americanos mineiros, o América, o seu Mecão, estaria agora, confortavelmente instalado na zona de rebaixamento.

O jogo

Fácil de definir...

Não mais que poucas palavras...

O Atlético Goianiense até pensou em jogar muito, mas ao perceber que o América não ia jogar nada, jogou o necessário para conquistar seus três pontinhos e poupar a equipe para partidas mais aguerridas.

Questionamentos:

- Depois de assistir ao arremedo de clássico, no último sábado, você torcedor americano, esperava algo melhor?

Esperava...

Jura?

Puxa, você é mesmo um apaixonado.

- Afinal, Oliveira Canindé, era o problema?

- E, Marcelo Martelotte, passou a ser, ou, vai se tornar?

- Esse time é mesmo tão qualificado como se dizia por aí?

- E a fogueira das vaidades, apagou ou continua queimando os corações de quem acha que o que já fez o torna maior do na verdade é?

terça-feira, setembro 16, 2014

Navegar é preciso... Pirangi, Parnamirim, Rio Grande do Norte.

Imagem: Fernando Amaral

Ministério do Esporte, inútil?


Para que serve o Ministério do Esporte?

Por José Cruz.

O jornalista Jorge Luiz Rodrigues, de O Globo, perguntou à candidata Marina Silva o que ela fará com o Ministério do Esporte, se vencer a eleição presidencial.

“É um ministério importante, mas, infelizmente, tivemos muitas dificuldades no processo das Olimpíadas, que dão para os brasileiros motivos de preocupação sobre o andamento das obras necessárias, que já deveriam ter alcançado um ponto muito maior de realização. Nós estamos fazendo uma avaliação criteriosa para verificar como vamos fazer a redução de tantos ministérios que já foram criados.” 

“Estarrecido”, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, reagiu, na página do Ministério do Esporte, usando um espaço de governo para, indiretamente, fazer propaganda à candidatura da presidenta-candidata, Dilma Rousseff.
                                  

Criado há 11 anos, o Ministério do Esporte é um órgão repassador de dinheiro e faz a alegria dos cartolas. 

Em termos de políticas públicas ou de projetos de esporte escolar, fracassou. 

E provocou caso de Polícia com os ex-ministros Agnelo e Orlando. 

Não saiu do Ministério uma só proposta de política esportiva, apesar de ali terem sido realizadas três Conferências Nacionais do Esporte. 

Os relatórios foram engavetados.

O Ministério facilita a corrupção pela omissão e ineficiente fiscalização aos recursos que libera. 

Por exemplo, provei que a CBT (Confederação Brasileira de Tênis), dirigida por Jorge Rosa, fraudou uma prestação de contas. 

E o ministério só soube disso diante da denúncia, originalmente levantada por Arnaldo Gomes, ex-vice-presidente da CBT.

Propostas?

Três ministros em 11 anos: Agnelo Queiroz, Orlando Silva e Aldo Rebelo. 

Apenas um concurso público foi realizado, mas a grande parte dos contratados foi embora, porque as condições de trabalho são precárias, controladas pela máquina e interesse partidário, o PCdoB.

Por isso, o Ministério está lotado de funcionários terceirizados e bolsistas, através de parceria com a Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (http://www.faurgs.ufrgs.br/). 

Mesmo assim, a Secretaria de Esporte Educacional tem apenas sete servidores.

Na Secretaria de Futebol são dois. 

Pobre futebol!!!

Já no setor de prestação de contas são apenas cinco funcionários. 

Apenas um é do quadro. 

Os outros, contratados, não têm qualificação ou compromisso com o serviço público, pois chegaram ali amparados pelo apoio partidário. 

E é nas mãos desses cinco que estão milhares de processos da Lei de Incentivo e dos convênios. 

Explica-se a pilha de prestações de contas que nunca chegará ao fim… 

A omissão incentiva a corrupção. 

Prato cheio para o Tribunal de Contas da União.

Quem poderia mudar esse quadro, o Conselho Nacional do Esporte, não age, pois se reúne apenas duas vezes por ano, mais para homologar decisões já tomadas do que para discutir propostas de interesse nacional.

Discutir sobre o futuro do Ministério do Esporte é, sim, obrigação de todos os candidatos. 

Não só porque ainda temos megaeventos pela frente, mas até agora essa pasta, que foi tão esperada, não disse a que veio. 

E porque ignora o artigo 217 da Constituição, que determina aplicar os recursos públicos prioritariamente no desporto escolar. 

Ao contrário, a grana vai para o alto rendimento.

Kitesurf em Pirangi... Parnamirim, Rio Grande do Norte.

Imagem: Fernando Amaral

STJD pune o América Mineiro...

Nunca se sabe o que vai dar...

Decisão do STJD, na maioria das vezes não dura 72 horas.

Porém até que tudo mude, os incompetentes agradecem penhoradamente a incompetência da administração do América Mineiro...

Sem o bisonho erro, não subiriam posições e nem respirariam mais aliviados.

No entanto o que mais me chamou a atenção foram às singelas e comoventes declarações do auditor relator e do auditor presidente depois do julgamento.

O auditor relator, Luiz Felipe Bulus Alves Ferreira, disse:

“É um caso que, infelizmente, não gostaríamos de julgar nesse momento. Foi um equívoco do clube, uma infelicidade, mas uma lamúria praticada nesse campeonato, que faz com que a gente tenha que mudar o resultado de campo”.

Já o auditor presidente, Paulo Valed Perry, afirmou:

“Procurei uma forma de não punir o América, uma pena dolorosa, mas não encontrei”.

Lindo, não?

Quem julga tem a obrigação de julgar, sem se importar se o momento é ou não favorável ao réu...

Quem julga não procura uma ou duas formas para não punir o transgressor...

Atém-se aos autos e aplica a pena prevista pela legislação.

Simples assim.

segunda-feira, setembro 15, 2014

Atleta sofre infarto no final da Meia Maratona de Natal...

Imagem: Elias Medeiros


A meia maratona de Natal, terminou com uma fatalidade...

José Carlos de Andrade, 65 anos, passou mal após completar o percurso de 21 quilômetros da Meia Maratona de Natal, na manhã de ontem, nas proximidades da Praia do Forte...

Vítima de um infarto fulminante, José Carlos de Andrade, recebeu atendimento médico de urgência, mas, infelizmente, não resistiu.

A cardiologista Isabela Sacilotto Villar, que acompanhava José Carlos como médica e companheira de treinamento, explica que a vítima estava com todos os exames em dia.

A cardiologista esteve no hospital e diz ter achado o paciente desidratado.

- Há suspeita de desidratação. Soube que ele teve um quadro de diarreia ontem (sábado) e talvez não tenha feito o aporte de água suficiente.

Acompanhei o desenrolar através do WahtsApp, num grupo formado por jornalistas...

Leonardo Pessoa, às 13 horas e 25 minutos, postou a informação de que a vítima havia passado mal na noite anterior, acometido de forte diarreia... 

A postagem de Leonardo confirma a posterior declaração da cardiologista.

Já a jornalista Juliana Garcia, às 16 horas e 33 minutos, postou que a logística e a organização da prova tinham sido satisfatórias, mas fez críticas à falta de distribuição de água durante o percurso...

As 16 horas e 54 minutos, o jornalista Jean Valério informou que havia participado da prova e que havia gostado da organização...

Entretanto, confirmou a informação de Juliana Garcia a respeito da falta de água no trajeto.

Lamentavelmente, o que era para ser um domingo festivo, terminou de uma forma tão triste.