terça-feira, maio 23, 2017

O programa TVU Esporte da TV Universitária completa 1 ano no ar... Parabéns Meninas.

Imagem: Fernando Amaral

Série D... Amadorismo fantasiado de profissionalismo.



A Série D é um lugar exótico, cheio de nuances e diversidade... 

Tem de tudo. 

Lá estão clubes com passagem pela Série A e clubes campeões regionais e estaduais... 

Mas também, lá estão os clubes pobres, pobres, pobres... 

De marré, marré, marré deci. 

No último domingo, um desses clubes protagonizou o inesperado, o inusitado... 

O Atlético Pernambucano de Carpina, precisou pedir um ônibus escolar emprestado à prefeitura da cidade de Carpina, da Zona da Mata Norte do estado, para conseguir chegar à partida válida pela primeira rodada, contra o Campinense, depois que o seu próprio ônibus quebrou no trajeto para buscar os atletas no centro de treinamentos. 

A turma chegou 30 minutos atrasados e não tiveram nem tempo de aquecer... 

Entraram frios. 

Chegaram a marcar o primeiro gol... 

Porém, quando o árbitro apitou o fim da primeira etapa, perdiam por 3 a 1. 

No final, a equipe que nem iria disputar a Série D – a vaga era do Serra Talhada que desistiu por questões financeiras –, virou o jogo... 

Aos 48 minutos Wellington o quarto gol e deixou o Campinense, campeão da Copa do Nordeste de 2013 com cara de paisagem. 

Detalhe: O estádio de Carpina, Paulo Petribu, está sem laudos e, portanto, proibido de receber público... 

Mesmo assim, sobre telhados, lajes e muros, um bom número de torcedores viu o jogo.

Abaixa...

Imagem: Richard Heathcote/Getty Images

Morreu Nicky Hayden, campeão do Moto GP de 2006...

Imagem: Autor Desconhecido


Nicky Hayden morre no hospital de Cesena

Piloto norte-americano falece na Itália pelos ferimentos sofridos após se chocar com um carro enquanto treinava de bicicleta

Por Nadia Tronchoni para o El País

O piloto Nick Hayden, campeão do Moto GP em 2006, morreu nesta segunda-feira, no hospital de Cesena, no qual estava internado desde quarta ao sofrer um acidente de trânsito em uma estrada secundária de Rimini, pequena cidade da costa adriática, onde treinava de bicicleta.

O norte-americano, natural de Owensboro (Kentucky), tinha 35 anos e estava no litoral italiano após participar no fim de semana de 14 de maio da corrida do Mundial de Superbikes, em que ficou em 12°. 

Era piloto oficial da equipe Honda de Superbikes desde sua saída do Mundial de Motociclismo, o Moto GP, há duas temporadas.

Apesar das causas do acidente, que aconteceu por volta das duas da tarde, não terem sido determinadas oficialmente, foi possível saber através da imprensa local e, especialmente pelas fotografias publicadas no mesmo dia pelo Rimini Today, que Hayden se chocou com um veículo, um carro da marca Peugeot: o impacto foi frontal, o vidro do carro ficou destroçado, o para-brisas quebrado e a bicicleta do atleta terrivelmente danificada e fora da calçada. 

De acordo com as últimas informações publicadas pelo mesmo jornal, a Polícia tem imagens de uma câmera de segurança que confirmariam que o corredor não obedeceu a uma sinalização de parada, por isso a batida aconteceu.

O corredor foi atendido no local pelos serviços médicos; quando foi estabilizado foi levado ao hospital de Rimini, inconsciente, e de lá, ao entardecer, foi levado em um helicóptero especialmente equipado ao hospital Maurizio Bufalini de Cesena, onde foi internado na unidade de cuidados intensivos.

Seu estado foi diagnosticado o tempo todo como muito crítico. 

Os médicos informaram que havia sofrido politraumatismos que afetaram o crânio, o tórax e a pélvis, especialmente. 

Além disso, após decidir não realizar uma cirurgia na noite de quarta-feira, na quinta-feira foi comunicado que Hayden tinha graves danos cerebrais. 

As horas passavam e, mesmo estabilizado, seu estado não melhorava. 

O estado clínico de Hayden não melhorou em nenhum momento desde quarta-feira até que na tarde de segunda o hospital confirmou sua morte.

Manchester City versus Birmingham...

Imagem: Matthew Childs/Action Images via Reuters

A Alemanha tem queda de público e aumento da média de gols na temporada 2016/2017...

Imagem: Autor Desconhecido


Bundesliga perde público, mas ainda supera os 40 mil pagantes - melhor média da Europa

Enquanto isso, o Campeonato Alemão viu melhorar a média de gols na atual temporada

Por Rodolfo Brito

A Bundesliga viu recuar a média de público na temporada 2016/2017. 

Nada que assuste. 

Pelo contrário. 

O Campeonato Alemão segue sendo o torneio com a melhor marca nas arquibancadas da Europa. 

De acordo com o levantamento do Sr. Goool, a média final da Bundesliga, encerrada no último sábado, foi de 41.492 pagantes e total de 12.696.424 torcedores.

Na temporada passada, com as mesmas 34 rodadas e 306 partidas, o Campeonato Alemão obteve média de 43.306 fãs. 

Até mesmo o insuperável Borussia Dortmund foi melhor em 2015/2016. 

O BVB obteve média de 81.178 apaixonados, enquanto na atual edição não conseguiu chegar a 80 mil fanáticos (79.653). 

Mas novamente o quadro não é assustador. 

O clube amarelo e preto segue sendo o rei fora das quatro linhas no futebol mundial.

Para se ter uma ideia da força do Dortmund nas arquibancadas, os 15 maiores públicos da atual temporada da Bundesliga são do clube que terminou em 3º lugar na classificação. 

Em 12 partidas, o Borussia Dortmund colocou 81.360 pagantes no Signal Iduna Park. 

Só no confronto ante o Wolfsburg o público ficou abaixo dos 75 mil torcedores (56.906).

Enquanto isso, o atual pentacampeão alemão Bayern de Munique garantiu a vice-liderança no ranking de público com média de 75 mil torcedores. 

O Top 3 foi fechado pelo Schalke 04 (60.703). 

Sem falar que esses três clubes arrastaram mais de um milhão de torcedores em seus 17 jogos como mandantes. 

No ano passado, o Palmeiras - recordista de público no Brasileirão - teve 616.947 alviverdes nas arquibancadas e média de 32.471 espectadores.

Ganho nos gols!

Real Madrid?

 Juventus?

Que nada!

Mônaco tem a melhor campanha entre os campeões.

Dos seis principais campeões europeus, apenas um não atinge o aproveitamento de 80%

No ranking de público da Bundesliga, os seis primeiros colocados ultrapassam a média de 50 mil pagantes. 

Apenas Darmstadt 98 (16.753) e Ingolstadt (14.601) - entre os 18 participantes do Campeonato Alemão - não alcançam a marca de 20 mil fãs. 

Se a Bundesliga perdeu público, ganhou bolas nas redes.

Em campo, o Campeonato Alemão melhorou a média de gols. Foram 877 tentos ao todo, sendo 507 dos mandantes e 370 dos visitantes. 

Média de 2,87 gols por partida. 

Na temporada passada, com 866 gritos de gol, a média esteve em 2,83 por duelo.

A edição atual ainda registrou 306 jogos com 150 vitórias dos donos da casa, 82 triunfos dos visitantes e 74 empates. 

O empate, por 1 a 1, foi o resultado mais repetido - 37 vezes. 

O campeão Bayern de Munique obteve o maior número de vitórias (25), o menor número de derrotas (2), o melhor ataque (89) e a melhor defesa (22).


Além do Bayern de Munique, RB Leipzig e Borussia Dortmund garantiram vagas na fase de grupos da UEFA Champions League. 

O Hoffenheim disputará a preliminar da UCL, enquanto Köln e Hertha estarão na UEFA Europa League. 

Já Ingolstadt e Darmstadt 98 foram rebaixados à 2. Bundesliga. 

Por fim, o Wolfsburg disputará playoff contra o Eintracht Brauschweig da 2. Bundesliga para saber quem jogará à elite na temporada seguinte. 

segunda-feira, maio 22, 2017

Harry Kane...

Imagem: Tom Jenkins for The Guardian

Série D... América estreia com goleada - 3 a 0 no Murici.

Imagem: Autor Desconhecido/Montagem: Fernando Amaral


Enfim o América estreou...

Infelizmente não pude ir.

Portanto, pouco a dizer...

Porém, o início da caminhada não poderia ter sido melhor.

A vitória por 3 a 0 foi além das expectativas...

Mesmo que todos esperassem o resultado positivo, a goleada serviu para dar sossego a ansiedade que se apoderava dos americanos.

Pelo que li e ouvi, é preciso melhorar...

Sempre é, mas quem, agora, quer pensar nisso?

Os rubros querem mesmo e comemorar...

Depois de um bom tempo, a turma quer mesmo é passar uma semana inteira com um sorrisão de orelha a orelha.

Phil Jagielka versus Troy Deeney...

Imagem: Richard Heathcote/Getty Images

Série D... Apenas 7 visitantes venceram neste domingo...

Imagem: Autor Desconhecido


Das 32 partidas disputadas ontem pela Série D, apenas 7 foram vencidas por equipes visitantes...

Altos/PI, Guarany de Sobral/CE, Juazeirense/BA, Fluminense/BA, Bangu/RJ, Boa Vista/RJ e São Bernardo/SP.

O "carinho" da torcida do Arsenal com Mourinho...

Imagem: Marc Atkins/Offside 

Série D... Potiguar empata com o Maranhão em 0 a 0.

Imagem: Blog do Freire


Segundo o jornalista Freire Neto, Potiguar de Mossoró e Maranhão de São Luis, fizeram um jogo de baixa qualidade técnica...

Tão baixa que ambos poderiam ter aberto o placar através de penalidades máximas, mas desperdiçaram.

O Maranhão na primeira etapa com Naôh...

No segundo tempo foi a vez do Potiguar, com Dedé Macaíba.

Domingo que vem, lá em Sobral, o Potiguar encara o Guarany...

Lembrando que os cearenses estrearam vencendo no Piauí, o River, por 2 a 1.

Série D... Globo perde para o Parnahyba por 2 a 0.

Imagem: Globo FC


O Globo foi ao Piauí para enfrentar o Parnahyba e perdeu...

Com dois gols logo no início do primeiro tempo – Davison aos 16 e João Daniel aos 16, de pênalti –, os piauienses garantiram a vitória.
Na outra partida do grupo, o Guarani de Juazeiro venceu o América de Recife por 1 a 0...

No próximo fim de semana, em Ceará-Mirim, o Globo recebe a visita do Guarani.

Aí, foi só tocar...

Imagem: Ross Kinnaird/Getty Images

GP de Moto3 da França... 17 pilotos no chão.



Não me lembro de ter visto antes algo parecido... 

Mas, sempre há uma primeira vez. No GP da França de Moto3, logo no início da prova, na segunda volta, 17 pilotos foram ao chão...

Tudo por culpa de uma área com óleo na pista.

A ira da Guardiola...

Imagem: Martin Rickett/PA

O abandono das famílias das vítimas do acidente da Chapecoense...

Imagem: Autor Desconhecido


Acidente da Chapecoense

Famílias de vítimas se unem para buscar amparo

Agência Gazeta Press/ESPN

A tragédia com o avião que levava a equipe da Chapecoense para a Colômbia no fim do ano passado ainda está longe de ter todos seus problemas burocráticos e financeiros resolvidos.

O clube catarinense, por ter o apoio natural da grande mídia, aos poucos tem conseguido se reerguer.

Por outro lado, as famílias das vítimas têm encontrado muita dificuldade em se recuperar do abalo psicológico e também na parte financeira.

Por causa disso, Mara Paiva, viúva do ex-jogador e comentarista Mário Sérgio, e Fabianne Belle, viúva de Cesinha, ex-fisiologista da Chapecoense, fundaram uma associação para unir as famílias dos vitimados em busca de respostas e justiça.

"Desde o acidente, estamos vivendo muitas incertezas e angústias e a associação veio de encontro à necessidade de buscar respostas e apurar os fatos. E dar também uma nova perspectiva além das que vêm sendo veiculadas", explicou Fabienne, em entrevista ao programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, na noite desse domingo.

"Queremos buscar respostas sobre os fatos, em todas as esferas, acidente em si, sinistro... Como não existia companhia aérea, não tivemos gerenciamento de crise. As famílias estão sem apoio psicológico e médico. Queremos buscar todas as questões de apoio e o esclarecimento dos aspectos que levaram ao acidente", completou.

Atualmente 17 famílias já aderiram ao grupo, que segue aberto a acolhida de quem mais precisar ou tiver vontade de procurar a associação, tanto para buscar auxilio como para fornecer algum tipo de ajuda.

"O clube perdeu ativos financeiros, jogadores, comissão técnica e profissionais que compõem a equipe, o clube já recebeu e recebe várias doações de instituições, e de governo, as famílias não receberam, ficaram paradas no dia do acidente e estão vivendo as consequências até hoje", contou Fabianne.

"Nós fomos deixados de lado. O acidente hoje se refere à Chapecoense, e não às vítimas. É um acidente aéreo. As vítimas são as pessoas. A instituição se apropriou do acidente como sendo deles, e os familiares seguem a linha de aguardar informações vindas através do clube", disse a ex-esposa de Cesinha.

Mesmo diante de tantos percalços, os familiares foram informados da intenção do presidente Michel Temer em liberar recursos para que um memorial fosse construído em Chapecó.

O custo da obra seria de R$ 15 milhões.

"Não é possível que o valor dessa monta seja destinado a um museu, memorial e também para uma reforma da Arena Condá. Antes disso, vem uma necessidade maior, porque as famílias estão precisando", disse, indignada, Fabianne.

domingo, maio 21, 2017

Na Escolinha da Libertadores Botafogo foi aprovado. Já o Flamengo...

Charge: Mário Alberto

Série B... ABC arranca empate em Porto Alegre e frusta a torcida do Internacional.

Imagem: Globoesporte.com


Está claro que a visita do ABC a Porto Alegre causou profundo mal-estar em parte significativa da população da cidade...

Que torcedor do Internacional imaginaria que a sua noite de sábado sofreria tamanho abalo?

Afinal, uma rádio local, transmitiu em alto e bom som, um conhecido comentarista, dizer que o Inter enfrentaria apenas um nada, e, nada mais...

Portanto, colorados de todas idades, raça, credo e gênero, com razão, esperavam uma sapecada sem dó ou piedade.

Tanto é assim que 27.605 porto-alegrenses e possivelmente alguns interioranos correram para o Beira-Rio para ver o nada apanhar durante 90 minutos...

Não foi bem assim.


Imagem: Globoesporte.com


Os colorados começaram rugindo, acuando, atacando e tentando assustar aqueles ilustres desconhecidos, comandados pelo único conhecido do famoso comentarista local...

Geninho.

Durante 25 minutos, martelaram as paredes, chutaram a porta, sem nada conseguir...

Passados esses longos minutos, a rapaziada do Geninho começou a entender como a coisa funcionava e equilibrou a partida.

Quando estava para terminar a primeira parte do jogo, com o placar em branco, o goleiro alvinegro, falhou...

Deixou a bola passar a sua frente dentro da pequena área e aí, pagou o preço, tomou o gol.

William Pottker, abriu o marcador...

Logo depois o primeiro tempo acabou.

Imagino que os gaúchos devem ter pensado ao iniciar o intervalo...
Agora vai, abriu a porteira.


Imagem: Globoesporte.com


Assim que o segundo tempo começou, tudo se repetiu...

Pressão, pressão e pressão.

Porém, nada de gol...

Nada de goleada.

Edson, o goleiro alvinegro, lá atrás, falhou no gol que tomou, mas acabou se tornando o herói da partida ao evitar outros...

Fez pelo menos umas cinco grandes defesas.

Geninho, então, tirou Zotti e colocou Adriano Pardal...

Logo depois, mandou Erivelton se banhar e solicitou que Dalberto botasse a bola para correr.

Não deu outra:

Dalberto, num dia para lá de especial, deu uma arrancada pela ponta direita, deixou dois rapazes do Internacional sem saber o que tinha passado por eles e tocou para o meio da área...

A bola roçou Nando, evitou um zagueiro, que ficou estatelado no chão, e chegou limpa para Adriano Pardal tocar para o fundo das redes.

Depois do silêncio, as vaias e, depois das vaias, os xingamentos e os protestos...

Como que esses nadas foram capazes de frustrar nossa noite?

Se perguntavam atônitos os gaúchos em todos os lugares da cidade.

Pois é...

No returno, quando vierem a Natal com certeza já saberão que o nome do time que arruinou os planos de conquistar na segunda rodada, seis pontos fácil, fácil, é ABC.


Xabi Alonso diz adeus aos gramados...

Diário AS


Diário AS

O futebol brasileiro vai tremer... tem delação a caminho.

Imagem: Harold Cunningham/Getty Images


Atenção, atenção...

Segundo a coluna Radar, da revista Veja, vai rolar mais uma delação.

Quem é o delator?

O ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, está negociando acordo de delação premiada com o Departamento de Justiça americano.

Como a delação funciona nos Estados Unidos?

No Brasil, assim como lá, a delação proíbe mentir, mas não pune omissão...

Nos EUA o acordo só vale se as checagens mostrarem que nada está sendo escondido e que todas as cartas estão sobre a mesa.

Se a informação da revista se confirmar, muita gente terá sérios problemas para se arriscar além fronteira...

Além disso, com a base parlamentar que sustenta a CBF, envolvida no esgoto de corrupção, é bem possível que a pressão vinda da Justiça dos Estados Unidos acabe arrombando de vez a tampa do bueiro.

Phillip Lahm se despede do futebol...

 Diário AS

Diário AS

América FC estreia na Série D contra o Murici de Alagoas...

Imagem: Autor Desconhecido


Logo mais o América começa sua saga na Série D enfrentando o Murici no estádio Arena das Dunas...

Mesmo no fundo do poço o América pode se gabar de jogar no melhor e mais bonito estádio da competição.

Antes que alguém diga que estádio não vence jogos, aviso: qual o problema de tentar dar uma elevada na autoestima dos rubros?

Afinal, neste momento, horas antes da partida começar, o que os americanos têm são muitos e muitos pontos de interrogação a espocar em suas cabeças...

Só daqui a algumas horas saberemos se Leandro Campos (foto) e sua trupe começaram bem. 

A coisa está tão difícil de prever que só arrisco afirmar que o América é favorito em virtude de jogar em casa...

Seja lá como for, agora, é pé na bola, fé, suor e muita dedicação.

Atlético de Madrid... as meninas são campeãs da Espanha.

 Diário AS


 Diário AS


 Diário AS


Diário AS

Ele é cego, já visitou 1.640 estádios na Inglaterra e escreve sobre as partidas que vai...

Imagem: Autor Desconhecido


Este é John Stancombe, o cego que visitou 1.640 estádios das divisões inferiores da Inglaterra

Por: Bruno Bonsanti para o site Trivela

John Stancombe, filho de casal de deficientes visuais, sempre teve problemas para enxergar, mas foi apenas dez anos atrás que perdeu totalmente sua visão.

Não escuta muito bem também, nem tem um bom olfato.

Àquela altura, aos 36 anos, já havia desenvolvido o seu principal hobby: visitar estádios non-league, abaixo da quarta divisão do futebol inglês, e fazer relatos das partidas para um livro que lança anualmente.

Está prestes a completar sua 30ª edição e, duas semanas atrás, visitou seu 1.640º estádio, em jogo do Sandbach United, da décima divisão.

Stancombe aparece nos estádios algumas horas antes do pontapé inicial e é acompanhado por um voluntário que lhe descreve tudo detalhadamente.

Tudo não é maneira de dizer: número de refletores, tamanho da grama e das construções, como está o céu, a cor e a quantidade de arquibancadas.

Seu relato também contém o público do jogo, o preço do programa – aquele livrinho que os clubes ingleses entregam com informações antes das partidas -, quantas páginas de propaganda tem neste programa, se as instalações contam com bares e televisores, se há banheiros ou vestiários.

Quando começa o jogo, um comentarista senta ao seu lado para lhe contar sobre a partida.

De vez em quando, até mesmo um jornalista ou um locutor de rádio que esteja disposto.

“Mas coloca pressão sobre eles, se não estiverem acostumados a fazer isso”, afirmou, em entrevista ao Guardian, que nos trouxe esta bela história.

O 29º livro da sua coleção refere-se à temporada 2015/16, com as partidas de 1.575 a 1.614.

A atenção aos detalhes vem da paixão pelo futebol, que começou com o seu pai e torcendo pelo Wimbledon.

“Meus pais são registrados com deficiência visual: meu pai tem visão parcial e minha mãe é totalmente cega. Vivemos em Balham, no sul de Londres, e foi mais ou menos na época do hooliganismo, então era difícil para o meu pai levar seu filho com deficiência visual para os jogos de futebol”, disse. “Eu comecei a relatar as partidas depois de conhecer dois torcedores do Wimbledon que faziam o mesmo. No entanto, como o jogo é recitado para mim por outra pessoa, meus textos passam pela percepção de outros”.

Stancombe conta que um dia, em um jogo contra o Derby, fora de casa, ele e seu pai foram detidos pela polícia por uma hora, após a partida, e escoltados para a estação de trem por 50 oficiais, embora fossem apenas 30 torcedores.

“Foi uma intimidação. Chegou a um ponto em que eu não me divertia mais. Por isso, eu passei para o non-league. Eu prefiro a camaradagem da non-league, a amizade e a paixão pelo jogo”, afirmou.

“Você é neutro, não importa quem vence. Se o clube me trata bem, comentou bem, eu espero que o time deles vença. Mas, à medida em que você sobe os degraus (das divisões), os clubes o tratam cada vez mais como apenas mais uma pessoa, um número entre o público”.

O bravo trovador de jogos de futebol da Inglaterra tenta ir a mais de um jogo por dia, quando eles são próximos, mas tem dificuldade para se locomover.

Precisa decorar os horários e as linhas de trem para ir de uma cidade para a outra, o que nem sempre é possível.

Mas ele tenta o máximo que pode desbravar o maravilhoso mundo do futebol non-league, a melhor maneira que encontrou para lidar com a casca de banana que a vida lhe jogou.

“Esta é minha 10ª temporada de futebol totalmente cego. Eu não consigo enxergar desde 2006. Quando isso aconteceu, eu sentei em casa por um ano e não fiz quase nada. Eu não conseguia mais ir para lugar nenhum e dependia dos outros. Eu fiquei um pouco deprimido ou triste, independente da palavra. Eu não conseguia mais ver para escrever meus relatos. Não consigo mais fazer isso, então eu gravo. Você perde um pouco de confiança na vida sendo cego. Eu faço isso porque senão eu apenas ficaria sentado no bar perto da minha casa o tempo inteiro. Quando você fica em casa sozinho, sendo cego, você dorme e acorda, o tempo inteiro. Chega a um ponto que é apenas para sair de casa. Eu venho fazendo isso há 30 anos. Só porque fiquei cego agora eu deveria parar? Tenho vários problemas de saúde, mas, enquanto houver clubes dispostos a me ajudar, eu continuarei visitando estádios”, encerrou.

sábado, maio 20, 2017

A CBF foi embora... as meninas voltaram para o campo de treinamento do ABC.

Imagem: Autor Desconhecido


Triste são a vãs promessas...

A FNF e suas assessorias, encheram e-mails de notas, notinhas e textões, afirmando orgulhosamente que o Campeonato Estadual Feminino, da Milla, da Carla e da Bia, seria jogado no estádio Maria Lamas Farache.

Todos acreditamos...

Eu, como sempre, mesmo tendo anos e anos de milhas caminhadas ainda costumo crer, que por vezes, raras vezes, os homens repensam, desfazem o malfeito e fazem o melhor.

Mais uma vez, como é de praxe, decepção...

Era tudo “MARQUETINQUE” de ocasião.

Depois que o povo da CBF que comanda a seleção feminina de futebol pegou o avião e se mandou para o Rio de Janeiro, acabou...

A tinta das notas, notinhas e textões sumiu e, com elas, cada palavra escrita e todas as promessas nas palavras contidas.

Resumindo...

O Campeonato Feminino volta para o Campo de Treinamento do ABC...

O motivo?

Esfarrapado como sempre.

A direção do ABC pediu para cancelar os jogos no gramado para não atrapalhar a manutenção do gramado...

Tá bom!

Sou legal, acredito.

A moça "perdeu" a cabeça...

Imagem: Dan Mullan/Getty Images

Bibiana Steinhaus... a primeira mulher a apitar na Bundesliga 1

Imagem: Autor Desconhecido


Policial alemã será a primeira árbitra da história da Bundesliga

Bibiana Steinhaus, de 38 anos, derruba um tabu e é a primeira mulher a compor o quadro de árbitros do Campeonato Alemão

Enrique Müller de Berlim para o El País

A Federação de Futebol da Alemanha (DFB) escreveu nesta sexta-feira um inédito capítulo na história do futebol profissional do país, ao nomear Bibiana Steinhaus, uma policial de 38 anos de Hannover como a primeira mulher a apitar partidas da Bundesliga, a Primeira Divisão alemã, a partir da próxima temporada.

Bibiana Steinhaus não é uma desconhecida para o público alemão, porque já escrevia outro capítulo na história esportiva da Alemanha quando se converteu, em 2007, na primeira mulher a apitar jogos da Segunda divisão.

“As profissões de policiais e árbitra se entrelaçam muito bem e em ambas o empregado exerce uma função executiva”, disse Bibiana, ao confessar que um policial e um árbitro têm uma só missão na vida: impor ordem.

“Sempre foi meu sonho. Evidentemente estou muito contente porque é um sonho que cumpro. É um reconhecimento ao duro trabalho que me levou até aqui e uma grande motivação para continuar este trabalho”, disse ela em uma entrevista publicada nesta sexta-feira no site da DFB.

A primeira mulher a apitar jogos da Bundesliga herdou a paixão pelo futebol de seu pai, um entusiasta da arbitragem.

Sua carreira como árbitra se iniciou quando descobriu que não tinha futuro como jogadora.

Quando tinha 16 anos, em 1995, apitou seu primeiro jogo e obteve sua licença para a função.

Quatro anos depois, estreou na Bundesliga de futebol feminino.

A nível internacional, Bibiana Steinhaus apitou as finais da Copa do Mundo de futebol feminino, em 2011, e, na mesma modalidade, a decisão dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.

Recentemente, foi selecionada para apitar a final da Liga dos Campeões Feminina, que terá o encontro entre os clubes franceses Olympique de Lyon e Paris Saint-Germain, na quinta-feira, 1º de junho, no Cardiff City Stadium, na capital do País de Gales.

Quando Bibiana Steinbach se converteu na primeira mulher árbitra da segunda divisão alemã, há 10 anos, confessou que sua meta era chegar à Bundesliga e que, para conseguir o feito, deveria treinar um pouco mais que seus colegas.

Conseguiu.

Try...

Imagem: David Rogers/Getty Images

Não tem mais ingresso para a Final da Copa do Nordeste...

Imagem: Autor Desconhecido

Copa do Nordeste...


Não tem mais ingressos para Bahia e Sport, na Arena Salvador.

Os Campeonatos Estaduais... Para que servem?

Imagem: Autor Desconhecido


Os campeonatos estaduais são difíceis de explicar sua existência...

O acriano, por exemplo:

Mesmo com uma média de 379 pagantes, comemorou...

Motivo?

É a melhor marca desde 2014...

Que maravilha, não?

O Campeonato do Acre de 2017 foi disputado em apenas dois estádios, ambos na capital, Rio Branco...

O Arena da Floresta e o Florestão – para que não se cometa nenhuma injustiça, ambos os estádios são muito bons.

Na tentativa de atrair público houve rodada dupla em todos os jogos...

Na reta final, tentaram até rodada tripla.

Como era de se esperar, os maiores públicos aconteceram nas duas partidas finais...

Ambas com público acima de 100 pessoas.

Na primeira partida pagaram ingresso 1.416 espectadores...

Na segunda, 1.500.

Porém, três partidas ficaram abaixo dos 100 pagantes...

O menor público foi de 33 pagantes na partida entre o Galvez e o Vasco.

Durante todo o estadual a FFAC – Federação de Futebol do Acre – arrecadou R$ 4.015,00 reais...

O valor só não supera a arrecadação do Atlético (R$ 5.140,50).

Mas pasmem...

O Atlético Acriano foi obrigado a “doar” R$ 1.828,25 reais à federação.

O estadual acriano é disputado por 8 clubes...


Seis terminaram a competição no vermelho.

Os riscos do futebol...

Imagem: Christof Stache/AFP

Décimo aniversário do milésimo gol de Romário...

Arte: Vasco da Gama


Hoje está completando o aniversário de 10 anos do milésimo gol de Romário...

O feito aconteceu no dia 20 de maio de 2007 no jogo contra o Sport Recife, pelo Campeonato Brasileiro.

O gol aconteceu num pênalti, convertido na vitória por 3 a 1 sobre o time pernambucano.

Mesmo que a contagem seja oficializada pela Fifa, o Vasco resolveu comemorar e lançou a camisa comemorativa...

A camisa tem cor branca e uma ilustração personalizada do atacante, que marcou 324 gols pelo Vasco.

As camisas começaram a ser vendidas ontem...

Parte da venda da camisa será revertida a uma instituição de caridade escolhida por Romário.

E aí, a casa caiu...

Charge: Mário Alberto

Jovem indígena vence maratona calçando sandálias da pneu...

Imagem: Autor Desconhecido


Ultramaratona

Jovem indígena ganha ultramaratona no México calçando apenas sandálias de pneu

María Lorena Ramírez correu mais de sete horas sem treino formal e sem equipamentos de corrida

Eugênia Copel para o El País

María Lorena Ramírez tem 22 anos e é uma das melhores corredoras de longa distância na comunidade indígena rarámuri (ou tarahumara), do México.

Em 29 de abril, ficou em primeiro lugar na corrida UltraTrail Cerro Rojo, realizada em Puebla, com a participação de 500 atletas de 12 países.

A imagem da mulher tarahumara no pódio junto à segunda e terceira colocadas foi compartilhada mais de 50.000 vezes no Facebook desde 13 de maio.

A postagem foi feita pela página Que Todo Tehuacán Se Entere, dedicada a divulgar fatos que sejam do interesse desse município do Estado de Puebla.

A notícia destaca que Ramírez obteve a vitória "sem colete de hidratação, sem tênis, sem lycras e mangas de compressão... Sem todos esses gadgets do corredor de hoje em dia. Sem ficar publicando seus quilômetros”.

A ganhadora aparece com semblante sério, segurando um papel no qual consta ter recebido 6.000 pesos (cerca de 1.000 reais).

Não usa nem roupa nem calçados esportivos, e sim uma saia e um par de huaraches (sandálias com sola de pneu), com os quais correu durante sete horas e três minutos.

Esse traje é comum entre os corredores tarahumaras, acostumados a trotar sem nenhum acessório entre as encostas da serra de Chihuahua.

No ano passado, Ramírez ficou em segundo lugar na Ultramaratona Caballo Blanco 2016, no Estado de Chihuahua, na categoria dos 100 quilômetros.

“Ela não usava nenhum acessório especial”, conta ao EL PAÍS Orlando Jiménez, organizador da corrida pelo segundo ano consecutivo.

“Não usava nenhum gel, nem doces para a energia, nem bastão, nem óculos, nem esses tênis tão caros que todos nós usamos para correr na montanha. Só uma garrafinha de água, seu boné e um paliacate (lenço) no pescoço.”

Correr longas distâncias é algo habitual na família de Lorena Ramírez.

Ela foi à prova de Puebla com seu irmão mais velho, Mario, que ficou em décimo lugar na categoria dos 30 quilômetros.

A ultramaratona de Chihuahua ela correu com três dos sete irmãos e com seu pai, Santiago.

Ele contou ao jornal El Universal que corre desde criança, assim como faziam seu pai e seu avô, com a motivação de “ganhar”, “de não perder” e “de não passar fome”.

Lorena e seu irmão chegaram a Tlatlauquitepec graças ao apoio dos organizadores da competição.

Fizeram mais de dois dias de viagem por terra desde sua comunidade, na Ciénega de Norogachi (município de Guachochi), até o Estado do México.

Lá foram apanhados pelo corredor Leonel Aparicio e nesse mesmo dia percorreram outras cinco horas de carro até o local da corrida.

No dia seguinte, Lorena correu 50 quilômetros e ganhou.

O EL PAÍS tentou fazer contato com a corredora no celular do irmão dela, mas o sinal não é muito bom na serra de Chihuahua.

Seu anfitrião em Puebla e no Estado do México conviveu com os irmãos durante uma semana, e nesse tempo lhe contaram que não têm um treino formal.

“Lorena se dedica a cuidar do seu gado: tem vacas e cabras, então caminha entre 10 e 15 quilômetros por dia com os animais”, conta Aparicio.

Para se manterem hidratados, os corredores tarahumara consomem pinole, um pó de milho com água que além disso é parte da sua dieta básica.

A maioria dos índios rarámuri vive na Serra Tarahumara (Chihuahua).

“São por natureza os melhores corredores do México”, afirma o organizador da corrida de Puebla.

Sua resistência física está gravada em seu nome.

Rarámuri vem das palavras rara, que significa pé, e muri, que significa correr.

É o povo dos “pés ligeiros” ou os “corredores a pé”.

O livro Nascido para Correr, de Christopher McDougall, popularizou sua história (e sua técnica).

quinta-feira, maio 18, 2017

Copa de 1966...Bobby e Jack Charlton cercados por fãs.

 
Imagem: Trinity Mirror/Mirrorpix/Alamy Stock Photo 

Copa do Nordeste... Spor 1 x1 Bahia.




Vou me valer do Blog do jornalista Juca Kfouri para mostrar o que representa um Sport e Bahia numa final de Copa do Nordeste... 

1. São os dois clubes do Nordeste que extrapolam a região e tem representatividade nacional. 

Os dois, aliás, neste ano, são os representantes do Nordeste na Série A do Campeonato Brasileiro (ao lado do Vitória) ... 

2. São as duas maiores torcidas, com vantagem para o Bahia: 

Bahia – 4.121.628 

Sport – 2.679.058 

3. Em número geral de títulos, vantagem pro Bahia também: 

Bahia – 54 títulos 

Sport – 47 títulos 

Títulos Estaduais: 

Bahia – 46 títulos baianos 

Sport – 40 títulos pernambucanos 

Títulos Regionais 

Bahia – 6 

Sport – 4 

Títulos Nacionais  

Sport – 2 (Copa do Brasil, Brasileiro Série B) 

Bahia – 2 (Taça Brasil e Campeonato Brasileiro) 

4. Média de público na Série A 

Bahia – 22.407 (quarta melhor média da história, atrás de Flamengo, Corinthians e Atlético-MG) 

Sport – 16.537 (é o 12º, mas Bahia e Sport são os dois times nordestinos melhores no ranking) 

5. Participações na Série A 

Bahia – 45 

Sport – 36 

6. Confronto direto 

Foram 84 jogos entre Bahia x Sport 

35 vitórias para o Bahia 

20 vitórias para o Sport 

29 empates 

7. Jogadores convocados para Seleção 

Sport – 13 

Bahia – 9

Özil, Giroud, Nacho e Bellérin...

Imagem: Simon Stacpoole/Offside 

O pessoal do FutParódias fez paródia sensacional com a música “Hey Ya”, do Outkast, falando sobre Ibrahimovic...

Taça Libertadores da América... Atlético Paranaense elimina o Universidad Católica e avança na competição.

Imagem: Autor Desconhecido

Libertadores da América... San Lorenzo vira o jogo e elimina o Flamengo.

Imagem: Autor Desconhecido


O Flamengo recuou, se “acovardou” e deu ao San Lorenzo campo para jogar...

Santa ingenuidade.

Em Buenos Aires, não se faz o que o Flamengo fez...

E pedir para perder.

Acabou conseguindo...

Tomou a virada e deixa a competição ainda na fase de grupos.

quarta-feira, maio 17, 2017

Eles são a festa, a razão de ser...

Imagem: Tom Jenkins for The Observer

Nada é mais divertido que torcer ao lado de meu pai...




Meu pai, o torcedor...

Por Ícaro Carvalho - repórter do "Universidade do Esporte" da 88,9 - FM Universitária

Quando o adversário abriu o placar aos três minutos de jogo, em Currais Novos minha cidade, meu pai, um homem com pouco mais de 40 anos sentiu um calafrio na espinha.

Mas, meu pai é meu pai e, logo arrumou culpados pelo tento do rival:

“Goleiro fraco”;

“O treinador escalou errado”;

“Negócio que dá ódio é torcer pra esse time”.

Porém, o mais interessante no torcedor habita em meu pai, e que em nada difere dos outros tantos milhões de torcedores de futebol, é todos indistintamente trucidam sem piedade a coerência...

Antes eram os elogios à equipe:

“Estamos numa boa fase”;

“Tem que ganhar hoje”;

“Só sossego com a vitória”.

Incoerência e idas e vindas fazem qualquer partida ao lado de meu pai ser algo inesquecível.

Os muxoxos e as reclamações em alto e bom som, convivem, sabe-se lá como, com piques de alta confiança.

“A gente vai ser campeão, não tenho dúvidas. Mas pô, levar um gol com três minutos, esses caras querem acabar comigo”.

Vem o segundo tempo e meu pai permanece o mesmo.

O rival continua dando as cartas e ele ansioso espera que seu escrete comece a lutar pelo empate que lhe dará o título.

Com o passar do tempo, o torcedor, dá lugar ao “treinador que desde sempre deteve o certificado emitido pela FIFA...

Meu pai já não reclama, aponta os erros:

“Estamos sem meio campo”;

“O 9 não tá com nada hoje”.

De repente, o time melhora.

Arrisca alguns chutes, cria chances, ganha volume de jogo.

Meu pai exultante abraça minha irmãzinha, que na esperança de vê-lo feliz, retribuiu o abraço ainda mais forte.

Desesperado, faz promessas, enquanto a abraça...

“Se a gente for campeão, dou um celular novinho a você”.

Do nada, minha irmã, que sempre foi alheia aos embates futebolísticos vira a mais apaixonada torcedora.

Vem o gol de empate e logo depois o gol do título...

Meu pai vibra, mas por um momento, para, pensa e solta essa pérola: “o troféu veio, mas me lasquei, o prejuízo vai ser grande”.

Dali para frente, ele se junta as comemorações efusivas que tomaram conta da cidade.

Meu pai já não era o torcedor ou o “treinador”, era um “menino” no meio dos carros...

Descalço, com toalha do time nas costas, cerveja na mão, “canta” aos berros o hino do clube do coração.

Compra mais cerveja, tira foto com desconhecidos e feliz da vida acaba na casa da minha avó que tem mais de 80 anos e a carrega nos braços, enquanto com passos desajeitados dança a dança da felicidade...

Nem liga quando alguém o alerta...

“Cuidado, ela não pode ter essas agitações!”

Meu pai não está nem aí…

Seu clube é campeão mais uma vez…

No fim dos festejos meu pai volta para casa e vai dormir abraçado com a alegria.

Dormirá, não um sono qualquer, mas sim, o sono de um campeão.

Eu, o observo e penso...

Não há nada como assistir a uma partida do Flamengo ao lado de meu pai - ele se transforma, se transtorna, sofre, ri, reclama, grita, xinga e ama...

Ama e me faz amá-lo ainda mais.