quarta-feira, agosto 20, 2014

Alan Henry Boswel...

Imagem: Autor Desconhecido

América é derrotado pela Ponte Preta por 2 a 0 em Natal e o ABC vence o Ceará em Fortaleza por 2 a 1.

Ontem, América e ABC voltaram a jogar pela décima sétima rodada da Série B...

Ambos enfrentaram equipes fortes, difíceis de ser batidas...

O América em casa...

O ABC na casa do adversário.

Em tese o América entraria em campo mais leve...

A atuação diante do Fluminense pela Copa do Brasil e a performance frente ao Icasa, avalizavam a afirmação acima.

Já o ABC, pisaria no gramado, carregando o peso de cinco partidas sem vencer...

Pressionado e com pouco crédito depois do que apresentou diante da Portuguesa de Desportos, em Natal.

Claro que o torcedor americano estava otimista...

Evidente que o torcedor do ABC, mesmo com alguma esperança, estava pessimista.

No entanto, quando aqui e lá as luzes dos estádios se apagaram, o otimismo transformou-se e decepção e o pessimismo em incrédula alegria.

O América jogou mal...

A Ponte Preta, não.

O resultado de 2 a 0 para a equipe campineira foi justo e só não foi mais amplo, por que Andrey não deixou.

O ABC jogou mal?

Nem tanto...

Mas o Ceará, sim.

Os cearenses meteram um salto alto e certos que venceriam, deram mole...

O ABC mais focado, buscou uma melhor sorte...

E por sorte, Renato estava inspirado e resolveu a questão.

Pior para o América, melhor para o ABC...

Os rubros caíram para a décima terceira colocação...

Os alvinegros subiram e ocupam o nono posto.

Como o futebol tem por costume ser surpreendente, na próxima rodada o ABC mais tranquilo recebe o lanterna Vila Nova em Natal e o América acabrunhado vai a Recife enfrentar o Náutico.

Ele quis aparecer? Apareceu. Ele alegrou a torcida? Alegrou. Ele foi detido? Foi Estará no Old Trafford na próxima rodada? Não... nem na próxima e nem nas muitas outras próximas rodadas.

Imagem: AFP

O futebol brasileiro e o Marciano Hipotético...

Para que serve o Futebol


Por Luís Fernando Verissimo.


Não sei porque o MH - Marciano Hipotético - insiste em voltar ao Brasil e ao meu texto, pois aqui ele só encontra perplexidades. 

Por mais que tente, o MH não consegue nos entender. 

Ele, que é verde, ficou azul de espanto quando lhe contei que, no país do futebol, o futebol era um mau negócio. 

Mas como, perguntou, agitando as antenas. 

Uma população deste tamanho, todo o mundo louco por ele, nenhum outro esporte profissional de massa disputando mercado com ele, um clima que permite a sua prática o ano inteiro - e ele só dá lucro para a CBF? 

Não consegue sustentar nem uma indústria de revistas especializadas como tem na Espanha e na Itália (ou, para não ir tão longe, na Argentina)? 

Os seus clubes estão falidos, os seus melhores jogadores são exportados?

Em Marte, contou o MH, apesar da ausência de grama e da fraca gravidade, que desaconselha tiros de meta para a bola não entrar em órbita, o futebol dá dinheiro.

Mesmo que houvesse mercado para jogadores com três pernas na Europa, nenhum marciano sonharia em ir jogar lá. 

Nem no Real Madrid. 

Por que no Brasil não acontecia o mesmo? 

Achei melhor mudar de assunto e contar que outro problema do Brasil era a falta de terra para assentar agricultores. 

Aí o MH ficou roxo de indignação, me acusou de estar gozando com ele, entrou na nave que estacionara no telhado e foi embora.

Agora voltou, não com a solução, mas com uma tese. 

Para ele, o problema básico do Brasil é o mesmo da agricultura quando uma safra excede a capacidade de escoamento. 

No nosso caso, uma superabundância de talento não encontra uma estrutura para absorvê-la. 

Num país enorme, o talento produzido não tem colocação e, literalmente, transborda. 

Mesmo os nossos maiores talentos teatrais não sobrevivem naturalmente, de bilheterias, sem subsídio ou patrocínio. 

Cinema, a mesma coisa. 

De literatura ninguém vive. 

E como não se pode diminuir a produção de talento como se diminui a de soja, por mais que tentem emburrecer o país, o problema só cresce. 

Portanto, me disse o MH, está claro para o que serve o futebol profissional no Brasil, e por que persiste mesmo sendo um fracasso permanente. 

Ele existe para representar o grande desperdício nacional, o grande paradoxo de um país que não se aproveita. 

A função do futebol, no Brasil, é ser uma metáfora.

Dito o quê, o MH partiu outra vez, pois não é doido de ficar por aqui.

terça-feira, agosto 19, 2014

Quebrou...

Imagem: AFP

Os 15 atletas mais bem pagos do mundo...

Os atletas mais bem pagos do planeta, segundo a Forbes.

01  Floyd Mayweather: $105.0 Milhões – Boxe
02  Cristiano Ronaldo: $80.0 Milhões – Futebol
03  LeBron James: $72.3 M - Basquetebol
04  Lionel Messi: $64.7 M - Futebol
05  Kobe Bryant: $61.5 M - Basquetebol
06  Tiger Woods: $61.2 M - Golfe
07  Roger Federer: $56.2 M - Tênis
08  Phil Mickelson: $53.2 M - Golfe
09  Rafael Nadal: $44.5 M - Tênis
10  Matt Ryan: $43.8 M – Futebol Americano
11  Manny Pacquiao: $41.8 M Boxe
12  Zlatan Ibrahimovic: $40.4 M Futebol
13  Derrick Rose: $36.6 M Basquetebol
14  Gareth Bale: $36.4 M Futebol
15  Radamel Falcao: $35.4 M Futebol

O brasileiro melhor colocado é Neymar...

Na décima sexta posição, sua é fortuna estimada em 33,6 milhões de dólares.

Fonte: Forbes

segunda-feira, agosto 18, 2014

Fluminense... e o mico continua.

Charge: Mário Alberto

Definidos os jogos da Copa do Brasil... então, as "zebras" vão continuar saltitantes?




 Charge: Mário Alberto


O ABC enfrenta o Vasco da Gama...

Já o América, o Atlético Paranaense.

Sorteio dos mandos de campo, será realizado hoje a partir das duas tarde na CBF. 

Os jogos de ida vão rolar nos dias 27 e 28 deste mês.

Os demais confrontos: 
Grêmio x Santos; Flamengo x Coritiba; Botafogo x Ceará; Corinthians x Bragantino; Atlético Mineiro x Palmeiras, e Cruzeiro x Santa Rita de Alagoas.

A bela imagem do salto de Jennifer Abel...

Imagem: Getty Images

O lado B do futebol brasileiro...

Por Rafael Ferro (Ferrinho) há 21 horas próximo a Santos...

A realidade do mundo do futebol é mais cruel do que se imagina. 

É um mundo mesquinho, sujo e mentiroso que atrai milhares de jovens pelo conceito fantasioso de que o futebol é sinônimo de glória.

É aqui, no futebol, que para alguns o sonho começa, e para muitos, muitos, onde o sonho termina. Aqui, onde o trabalho é árduo, as renúncias são muitas e a cobrança é constante. 

Onde os profissionais são humilhados e muitas vezes reduzidos a nada dentro do seu ambiente de trabalho, devendo quase sempre permanecer em silêncio, afinal, eles e seus familiares dependem daquilo para sobreviver. 

Refletindo sobre tudo isso, o que me resta é um sentimento de tristeza, de desesperança. 

Uma angustia por não saber mais como ajudar, nem o que dizer... 

Já que a frase “vai dar tudo certo” já não está funcionando mais. 

Foram dias em que cheguei em casa aos prantos dizendo “não deu certo de novo”, dias que tive machucado escondendo minha dor, dias que me vi no banco, mesmo tendo mais condição física e técnica que o titular, porque este era jogador do treinador ou do presidente, ou porque tinha empresário forte, dias que me senti envergonhado, diminuído, mesmo não merecendo.

Venho, diante de tudo, tirando a conclusão de que no futebol não basta ter talento, trabalhar direito, ser pontual, cumprir com as regras... se dar bem no mundo do futebol hoje em dia, no sentido literal da palavra, é quase que como ganhar na loteria - é para poucos. 

Ainda não sei ao certo o quanto tempo ainda vale a pena sonhar. Esperar o dia que o futebol se torne mais justo, mais limpo e mais honesto. 

Se vale a pena acreditar que um dia, as pessoas não vão exigir que a gente trabalhe por “amor à camisa”, mesmo com o salário atrasado, e que não seremos chamados de mercenários quando nos recusarmos à entrar em campo... se vale a pena acreditar que um dia, companheiros e eu, deixaremos de sermos vistos como meros objetos do meio futebolístico e se tornarem pessoas reais, valorizadas, que trabalham e merecem uma vida honrada, que merecem respeito e reconhecimento. 

#aRevoluçao#ChegaDessaPalhaçada#Cansado#aMorteDoNossoFutebol #orgulhoFamíliaGrêmioBarueri
 

O texto acima foi escrito pelo lateral direito Rafael Ferro – Ferrinho, num rede social...

Me foi enviado pelo amigo Leonardo do blog música do gol.

Já ouvi centenas de histórias idênticas...

Algumas bem mais cabeludas e, só não as publiquei porquê quem contou ou ainda tentava a sorte no mundo da bola ou porquê se recusou a permitir que publicasse seu nome...

É compreensível, jogador só é forte quando seu passe vale tanto quando o patrimônio do clube vendedor - exagero é claro, mas é bem por aí.


Americanos gostam de futebol... Sporting KC vs Vancouver Whitecaps.

Imagem: World Soccer

Os muitos milhões que inundam o futebol...

Um pequeno levantamento feito pelo site sport.es, da Catalunha, Espanha, demonstra a quantidade absurda de dinheiro que gira em torno do futebol.

O Emirates Stadium, pertencente ao Arsenal de Londres, custou 500 milhões de euros...

Um terço do valor investido em sua construção foi financiado pelo Barcelona...

Como?

Com a compra de jogadores do Arsenal.

Nos últimos anos, a equipe espanhola, contratou os seguintes jogadores do Arsenal: Overmars, Petit, Van Bronckhorst, Henry, Hleb, Song, Cesc e Vermaelen...

Pagou por eles, a quantia de 169 milhões de euros...

Bom, é só fazer a conta.

domingo, agosto 17, 2014